bronquite crónica

0
8191

Eu- visão global :

  • muito frequentes, grado ignorado, evolução potencial desconhecido.
  • 20% progredir para IR e dispnéia resto.
  • cada ano 1200 DC DPOC.
  • na França : 3 milhões, 1/3 presentes trbles pulmonar obstrutiva.
  • 6rd classificação de condições crônicas logo após o’asma.
  • problema de saúde pública.

II- definição :

definição clínica (anamnestique)

Bronquite crônica « BC » é uma condição muito comum caracterizada por hipersecreção de muco suficiente para causar uma tosse trazendo de volta muco sérico e / ou expectoração muco-purulenta ocorrendo em n’qualquer hora do dia, há pelo menos 3 meses consecutivos e durante pelo menos 2 sucessivos anos.

ele s’também atua d’um déficit ventilatório obstrutivo caracterizado por uma relação pouco ou irreversível.

III- fatores etiológicos :

UMA- Os fatores extrínsecos :

  • tabagismo ativo ou passivo (90 % casos).
  • poluição profissional (inalação de pó, vapores.), industrial, atmosférico, dona de casa.
  • O tempo e do clima.

B- fatores intrínsecos :

  • especialmente infecções virais (viroses explicam BC em’criança).
  • Alergia e a hipersensibilidade brquica.
  • eu’obesidade.
  • predisposição genética (prematuro).
  • Algumas deficiências imunológicas (especialmente IgA secretora e ai antitripsina.)
  • RGO

C- outros fatores :

  • condições socioeconômicas desfavoráveis.
  • eu’idade e sexo (homens mais 50 anos.)

IV- Anapath :

Histológicas Mudanças no BC pode ser :

  1. glândulas sero-mucosas aumentadas ao longo do’árvore traqueobrônquica .
  2. modificação das proporções das diferentes células do’epitélio com superprodução de muco responsável por’obstrução das vias aéreas .
  3. inflamação das vias aéreas com tendência a’atrofia e fibrose disso
  4. infecção de muco n’não é obrigatório (la purulence n’nem sempre acompanham o’infecção).

V- Clinical Diagnostics :

ele s’age com mais frequência’um homem 40 – 50 anos, que presta consultoria para a tosse crônica produtiva + dispneia (pode ser uma mulher ou uma criança).

* A l’interrogatório em que insistimos :

  • procurando’elementos etiológicos despertados e sinais de’hipóxia severa (cyanose, hippocratisme digitais).
  • as características da tosse, eu’expectoração.
  • dispneia e características.

* O exame clínico Pesquisar :

  • obesos doente, bréviligne, cyanose, tórax distendu, com a presença de sinais de Hoover (↓ paradoxal o diâmetro basal torácica), e assinar Combell (↓ cartilagem distensão em relação ao esterno)
  • gemidos som. Às vezes associada à sibilância.
  • Às vezes, sinais de impacto sobre o direito coração (galope direita, sinais de’ISTO, sinais de’HTAP, edema dos membros inferiores).

WE- Paracliniques de diagnóstico :

UMA- radiografia de tórax padrão :

É normal no início, mas numa fase avançada, pode ser encontrada:

1- sinais de distensão torácica:

  • probabilidades horizontalização
  • Aumento em l’espaço intercostal
  • Achatamento do diafragma

2- Os sinais de destruição do parênquima : Um lucency associada com a depleção de vascularização periférica => Instalação de enfisema

3- sinais bronchitic : Uma imagem-tipo de área.

4- sinais inflamatórios: Um micronodular imagem reticular.

5- sinais cardíacos direitos: Com uma cardiomegalia (HTAP, dilatação, IVD,…)

B- TDM :

  • Faça um inventário lesão precoce e preciso
  • Dgc de Kc

C- endoscopia:

  • Ela n’não é sistemático
  • Estendido de l’inflamação e confirmação
  • Aparência e abundância de secreções (hemoptise)
  • Bx so d’estabelecer um dgc histológico (dysmitose : lesão Kc antes)
  • Detectando DPOC
  • Eliminar qualquer causa local (corpo estranho)

D- teste de função pulmonar :

Mas : dgc, prognóstico e terapêutico

  • espirometria clássico : as taxas de fluxo e volumes de gases
  • fluxo curva / volume : eu’estudo de fluxo respiratório (dinâmico) FCT em volumes (estático)
  • Medição de conformidades pulmonares (estática e dinâmica)
  • Medição da capacidade de transferência de CO (DLCO ^)
  • medição da gasometria arterial em repouso e em’esforço

E- Os testes laboratoriais.

F- ECG.

VII- evolução :

Variável d’um assunto para’de outros, depende do genótipo

Evoluiu por etapas, de bronquite simples a bronquite crônica com distúrbios do’hematose e às vezes até a morte (não leva em conta o fator tempo)

UMA- Bluetongue Stadium Bronquite crónica ou única (início) : puramente clínico, Ausência d’anormalidades respiratórias funcionais, N Tiffeneau, CUJA / CV >70% (normal)

B- Estágio de bronquite crônica com distúrbios ventilatórios obstrutivos :

clinicamente :

  • Dispneia d’esforço
  • cianose Thrust.
  • Trilhos soando com pieira.

radiologicamente :

  • Os sinais de distensão torácica e / ou destruição do parênquima.

EFR : Sd pouco obstrutiva ou não reversível

  • cuja base, baixo CV, bas Tiffneau <70, alta VR, CPT normais, CRFÎTT, elasticidade pulmonar preservada mas um aumento da resistência.

Dependendo DPOC podem ser classificados em FEV :
Stade 1 : DPOC leve para FEV> 80
Stade 2 : DPOC de moderada a entre VEF 50 e 80%.
Stade 3 : DPOC moderada para FEV entre 30 e 50%.
Stade 4 : DPOC grave para FEV < 30%.

C- Estágio de bronquite crônica com transtorno’hematose insuficiência respiratória : Ele deve absolutamente ser corrigido. caso contrário, ele fará com que :

  • Ler no tempo : d’hipóxia que reflete o’shunt effet
  • em 2ª vez : d’hypercapnie (grave se maior ou igual a 60mmHg) sinal de seriedade
  • policitemia, sudeste HTAP, IVD e d’oligurie.

A síndrome obstrutiva é agravada com o aumento da CPT.

VIII- tratamento :

UMA- tratamento preventivo :

  • A triagem para pacientes em risco.
  • Localização e tratamento de infecções.
  • investigar as causas
  • Vacinação

B- tratamento médico :

1- Stade catarral :

  • A fisioterapia respiratória.
  • A terapia com antibióticos se a infecção.

2- Stade obstructif :

  • broncodilatadores.
  • A fisioterapia respiratória.
  • A terapia com antibióticos se a infecção.
  • A perda de peso se a obesidade.
  • Nunca d’antitussifs.

3- Estágio d’insuficiência respiratória :

  • ventilação assistida ou terapia de oxigénio.
  • broncodilatadores.
  • Bled se policitemia.
  • anti-inflamatória (AIS = esteróides) : Estádio III
  • Diuréticos e anticoagulantes.

IX- diagnóstico diferencial :

  • asma.
  • embolia.
  • obliterando bronquite.
  • bronquiectasia : DDB.
  • problema cardíaco : IVG, ICG => dispneia.
  • fibrose cística.

Curso do Dr. Mokrane – Faculdade de Constantino