Diagnóstico de dispneia laringe

0
9530

 

Eu- INTRODUÇÃO :

A dispneia é definida como uma "dificuldade respiratória". C’é uma emergência terapêutica porque pode ser’origem de’hipóxia que pode ser fatal e neurológica.

II- ANATOMIA :


III- POSITIVO DIAGNÓSTICO :

O diagnóstico de dispneia laringe é principalmente clínico.

UMA- visita’criança :

1- O diagnóstico é fácil se os sintomas são típicos, combinando :

um bradipnéia inspiratório

um empate : c’é a depressão do tecido mole relacionada à depressão das vias aéreas inspiratórias subjacente ao’obstáculo.
O sorteio podem ser supraesternal, seu- clavicular, intercostal, epigástrico.

ruído inspiratório laringe : ele pode’agir :
– ostra : c’é um ruído agudo relacionado a um obstáculo glotto-sus-glótico.
– de Cornage : c’é um ruído rouco refletindo um obstáculo subglótico.

Pode-se notar alterações de voz e tosse.

2- O diagnóstico é mais difícil se os sintomas são atípicos :

no recém-nascido :

Bradipnéia pode ser substituído por uma apnéia, cianose acesso, bradicardia ou mesmo d’parada cardíaca

entre os recém-nascidos e bebês :

Bradipnéia pode ser substituído por taquipneia.

dispnéia avançado de laringe pode resultar em polypnoea superficial sem desenhar, que sinais eu’esgotamento do’criança e não deve fazer acreditar em uma melhoria.

B- visita’adulto :

dispnéia crônica da laringe, d’instalação progressiva, é mais comum do que em’criança, a laringe’adulto sendo mais largo do que a criança.

ele s’age de’bradipneia inspiratória com desenho supraclavicular e intercostal.

S’associado a ruídos laríngeos (stridor, Cornage).

Outros sintomas podem coexistir :

  • tosse
  • dysphonie
  • dysphagie
  • odynophagie.

IV- DIAGNÓSTICO DE GRAVIDADE :

Os critérios de gravidade :

  • eu’idade : mais eu’criança é jovem, menos tolerância é bom.
  • A duração da dispneia : além’uma hora, dispnéia se agravar.
  • Os sinais de’hypercapnie : suores, taquicardia, hipertensão.
  • eu’taxa de respiração irregular : pausas respiratórias, substituição da bradipneia inspiratória por taquipneia superficial com redução ou desaparecimento do desenho refletindo a’exaustão.
  • Os sinais de’hipoxia : cianose tarde é extremamente grave.
  • eu’estado de consciência : sonolência.

V- DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL :

UMA- Dispneia d’origem cardíaca :

ele é’age de’taquipnéia de 2 tempo respiratório sem puxar ou cornagem.
A voz e tosse são normais.

B- dispneia asmática :

Estes são bradypnées com expiratório expiratório pieira ausculta característica e sinais pulmonares.

C- Dispneia d’origem traqueobrônquica :

afetar 2 tempo de respiração e s’acompanhar d’um «chiado» (assobio expiratório e / ou inspiratório) e D’tosse.
A voz é normal.

D- Dispnéia obstrutiva supralaríngeo :

Dê um bradipnéia inspiratória mas o empate é o mais alto localizado na região- mandibular.
ele pode’agir rinite obstrutiva, imperfuração choanaie bilateral, síndrome de Pierre Robin ( giossoptose, microrétrognathie, e divisão de distúrbios de deglutição palatinas), abscesso retrofaríngeo.

E- Dispneia d’origem metabólica :

Eles são grandes e profundos com a respiração lenta e pausas (dispnéia Kussmaui).

F- Dispneia d’origem neurológica e muscular :

  • central : Dispnéia respiração de Cheyne-Stokes.
  • periférico : poliomielite, poiyradiculonévrite, myasthénie.

G- Dispneia d’origem psíquica :

WE- diagnóstico etiológico :

UMA- visita’criança :

1- Em recém-nascidos e crianças com menos de 6 mês :

uma- malformações laryngées :

Webs ou laringe diafragma, estenoses subglótica, paralisia dos dilatadores, cistos de laringe, laringe diastema.

b- Estridor congénita crítico ou laringomalácia :

ele é’atos de hiperfrouxidão excessiva das estruturas da laringe com sucção da borda laríngea durante o’inspiração.

c- subglótico angioma :

  • O Réalise um tableau de laryngite aigue reincidente sous-glottique são primeiro episódio est avant unten 6 mês com um intervalo livre 3 semanas após o nascimento.
  • O diagnóstico é endoscópica. Em quase metade dos casos, hemangiomas cutâneos são encontrados.

d- Laringe paralisia unilateral ou bilateral :

2- Depois de’idade 6 mês :

uma- laringite aguda :

1- laryngite sous-glottique :

  • O início é gradual, muitas vezes à noite, sans pródromo, durante ou subsequentemente a um episódio infeccioso nasofaríngea.
  • Febre é moderada (38° 38,5 °).
  • dispnéia laríngea aparece dentro de horas, associada a uma tosse rouca e uma voz modificada.
  • ele s’geralmente atua como uma doença viral, ocorrendo em pequenas epidemias.

2- laringo-traqueobronquite :

  • ele é’age de’envolvimento laríngeo associado ao envolvimento traqueobrônquico, onde o staphylococcus aureus está mais frequentemente envolvido.
  • clinicamente: incluem graves do tipo infeccioso sinais febre alta, calafrios, astenia importante.

A dispneia laríngea no início rapidamente se mistura com em l’ausculta de estertores brônquicos 2 campos pulmonares.

3- laryngite striduleuse :

  • ele é’age de’laringite de início súbito com tosse rouca, noite feliz, durante o qual aparecem ataques de curto prazo de asfixia.
  • Este tipo de laringite pode inaugurar o sarampo.

4- laryngite sus-glottique OU épiglottite :

  • Na maioria das vezes devido ao Haemophilus influanzae, causa microabscessos do’epiglote com grande edema do vestíbulo laríngeo.
  • C’é uma grande emergência terapêutica porque é fatal.
  • Além disso rara que la laringite sous-giottique, na maioria das vezes afeta o menino ao redor do’3 anos de idade.

A clínica é marcada por :

  • início súbito com febre alta
  • disfagia severa e dispneia laríngea de’início súbito.
  • eu’criança está prostrada, pálida, em uma posição sentada e se recusa a s’alongar. A voz é abafada e tosse é clara.

eu’hospitalização de emergência’impor.

– corpos estranhos

– trauma

  • trauma cervical externo
  • queimaduras de líquido ou líquido em ebulição cáustica
  • edema alérgico ou ardente’insetos
  • traumatismes iatrogènes pós-intubação

– tumores

→ A papilomatose laríngea

  • disfonia é o primeiro sinal então s’gradualmente instala dispneia.
  • A etiologia é viral: papilomavírus.

O exame de laringoscopia ou suspenso mostras de fibra óptica de tufos 0,5 mm, pedunculado ou séssil, acinzentado ou esbranquiçada ou rosada, localizado nas cordas vocais ou no chão dos ventrículos.

→ outros tumores benignos ou malignos são excepcionais.

B- visita’adulto :

1- tumores :

uma- malignidades :

– Estes são cânceres da laringe e cânceres da’hipofaringe
– Eles podem ser vistos no’homem de 45 para 70 anos.
– Os fatores predisponentes são :

  • câncer de laringe tabaco
  • álcool para a hipofaringe.

sinais disfonia funcional, disfagia e dispneia para cancros da laringe.

– Para os cancros da hipofaringe, Disfagia é o primeiro sintoma.
– O diagnóstico é baseado no’Exame otorrinolaringológico associado a uma laringoscopia em suspensão sob anestesia geral com biópsias para exame anapata.

b- tumores benignos : papillomatose laryngée, tumor Abrikossoff, condroma de cricóide, laringocele…

2- Dispneia laríngea’origem funcional e neurológica :

ele s’age de’condições que afetam a mobilidade das cordas vocais, que pode ser permanente ou intermitente.

uma- dispneia permanente laringe :

– Este é o fechamento paralisia laríngea, bilateral.
– O início pode ser repentino, criando um quadro de asfixia que requer intubação ou traqueotomia.’emergência, mas na maioria das vezes, é progressivo com uma ligeira dispneia laringe e bem tolerada.
– As causas podem ser :

  • central : encefalite viral, sífilis, esclerose lateral amiotrófica, poliomielite anterior crónica, esclerose múltipla…
  • dispositivos : trauma cirúrgico (cirurgia da tireóide), eixo tumores pescoço visceral…

b- dispneia laringe intermitente :

espasmos da laringe :

– ele s’atos de episódios intermitentes de fechamento laríngeo excessivo e inadequado, Acesso falta de ar responsável, sem dispneia permanente.
– fisiopatologia: evoca um exagero do fecho da laringe reflexo:

  • ou aumentando as respostas motoras
  • quer através da redução do limiar de disparo do reflexo.

eles são

  • primitiva está ocorrendo em resposta a uma irritação da laringe de refluxo gastroesofágico, gotejamento pós-nasal, um erro, tosse, inalação de corpos estranhos ou cáustica
  • ou durante várias condições neurológicas : tabes, syringobulbie, doença de Parkinson, epilepsia
  • eles também podem ocorrer durante o tétano ou raiva.

3- Dispneia laríngea’origem infecciosa :

uma- epiglotite :

  • Raro no’adulto, c’é a forma mais grave de laringite aguda.
  • O principal organismo é Haemophilus influanzae.
  • eu’envolvimento masculino é preferencial.
  • Em um contexto infeccioso, ocorre dor da faringe.
  • Disfagia é d’instalação repentina com às vezes hipersalivação.
  • dispnéia laríngea é frequentemente adiada início.

b- laryngite diphtérique OU garupa Laringe :

– As membranas falsas características no nível velo-tonsilar’estendem-se em direção à laringe e estão no’origem da obstrução.
– A imposição deve ser praticado em busca do bacilo Klebs-Loeffler.

c- gripe laryngite :

– Existem formas graves e dyspnéisantes com ataques edematosas epiglottidean, ulcerativa e até mesmo phlegmonous.

d- tuberculose laríngea :

e- em l’immunodéprimé (aplasie, lado) :

A laringite aguda banal pode ter um aspecto evolutivo formidável

4- Dispneia laríngea’origem inflamatória :

uma- laringite alérgica :

– O contexto é muitas vezes evocativo em um terreno atópico conhecido com a noção de’um gatilho (picada d’insetos, alimento ou ingestão da droga…).

b- angioedema :

– C’é o angioedema clássico.

c- laringite inalação cáustica vapores :

5- Dispneia laríngea’origem traumática :

trauma externo : Acidente da via pública, tentativas de’autólise por enforcamento, lesões esportivas (esportes de combate).

Dispneia laríngea’origem traumática :

trauma externo : Acidente da via pública, tentativas de’autólise por enforcamento, lesões esportivas (esportes de combate).

trauma iatrogênica : traqueal prolongada intubação, traqueotomia ou associação.

6- dispnéia laríngea inalado corpo estranho :

– É um acidente rara em adultos.

VII- TRATAMENTO :

Manobra de Heimlich

Manobra de Heimlich

Intubação / traqueostomia

Intubação / traqueostomia

VIII- CONCLUSÃO :

  • O diagnóstico de’dispneia laríngea envolve principalmente o reconhecimento clínico do local laríngeo do obstáculo respiratório.
  • Deveria ser’aprecio a seriedade. Uma boa história de condução e exame físico permitem, em muitos casos, um etiológico.
  • O tratamento envolve a remoção de dispneia (corticosteróides, intubação, traqueotomia) e será então adaptado de acordo com o’etiologia.
laringe normais : inspiração / laringe normais : fonação

Curso do Dr. Loriam – Faculdade de Constantino