gametogênese

0
13090

visão global :

Gametogênese é o processo de formação de gâmetas em 2 sexos. Tem lugar nas glândulas genitais, testículos para os homens e os ovários de fêmeas. Trata-se de uma linha celular particular,, germinativas (sua semente), em oposição a todas as outras células no’organização, agrupados sob o termo de células somáticas (o Soma).

UMA- A linha germinal CELL :

Eles compreendem sucessivamente :

1- o Gonies (ovogonies espermatog�ias I) :

Estas são células estaminais diplóides. Eles se multiplicam por mitose equational.

2- Les citos (oócitos ou espermatócitos) :

Estas são as células envolvidas no processo de meiose.

  • Os citos I ou primeira ordem antes da primeira divisão divisão ou redução da meiose.
  • Os citos II ou segunda ordem são formadas a partir do acima, durante a primeira divisão meiótica .

3- as marés (ovotides espermátides I) :

Eles são formados durante a segunda divisão meiótica. Estes são células haplóides que dividem mais. O seu número cromossoma é o mesmo que citos II, quer n cromossomas, mas eles contêm metade de d’ADN, cerca de metade da quantidade presente em uma interfase de células somáticas.

B- MEIOSE :

Meiose é adaptado com a linha germinal. Diz respeito aos citados de primeira e segunda ordem e combina duas divisões celulares sucessivas precedidas por uma única duplicação do’ADN.

Figura 1. regime geral de gametogênese

Permite a formação de gametas haplóides e l’troca de segmentos cromossômicos entre os genomas paterno e materno. Esse processo que acompanha a reprodução sexual permite a variabilidade genética dos’espécies e permite, ao longo de gerações de s’adaptar-se a variações’meio Ambiente.

A meiose é um fenômeno exclusivo da divisão celular, própria para gametogênese, no qual ela desempenha um papel fundamental para garantir a redução do número de cromossomos e a mistura de informação genética materna e paterna A primeira divisão (divisão de redução) é precedido pela duplicação do’DNA durante o final de l’interfase e compreende sucessivamente : prophase, metaphase, Anáfase e Telófase.

A segunda divisão (divisão equational) ocorre muito rapidamente e o’nos encontramos diretamente na prófase.

Observa-se as etapas habituais de mitose, para n pares de cromossomas : étaphase-Anafase-télophase. O resultado será a formação de 4 gametas haplóides.

meiose permite :

  • reduzir pela metade o conteúdo genético de’uma célula.
  • fabricando o’Informação genética.
  • A transmissão de’Informação genética.
Figura 2. As fases da meiose

espermatogênese :

Espermatogênese ocorre nas gônadas masculinas ou testículos. Ela começa na puberdade, atingiu um pico de 20-30 anos, diminui gradualmente para quarentena, mas pode continuar até’em idade avançada. Espermatogénese é um processo lento e contínuo requerendo 74 sobre dias em casa’homem ; C’é a duração do ciclo espermatogênico.

UMA- ESTRUTURA DO ESPERMA :

O espermatozóide é um celular, altamente diferenciados, não l’organização é comparável na maioria dos mamíferos.

Figura 3. Estrutura do espermatozóide humano

1- morfologia :

O esperma é de cerca de 60 pm de long. Na microscopia de luz, on distingue :

→ Chefe, alongado e achatado (4 para 5 Junto pm e 2 pm d’espessura). Contém’acrossomo e núcleo .

  • pescoço, estreitou e curto (1 pm par 1 PM), correspondendo convencionalmente a l’espaço entre 2 centrioles.
  • O flagelo compreendendo :

→ A parte intermédia (4 para 5 pm de long), que contém o « espiral mitocondrial ».

O quarto principal →, longo 45 PM.

→ A peça de extremidade, longo 1 para 2 pm e multa.

2- Ultra estrutura :

A estrutura fina do esperma não é’observe qu’em microscopia eletrônica

Figura 4. Ultra-estrutura do esperma humano
  • cabeça : É oval e achatada. Na fronteira entre 2/3 passado e 1/3 mais tarde, uma poltrona, eu’anel nuclear, corresponde à borda posterior do’acrossomo.
  • o kernel : Ele está usando o cabelo’acrossoma e ocupa a maior parte da cabeça. A cromatina é altamente condensados, essencialmente homogênea, sem nucléolo. O pólo posterior do núcleo tem um vácuo orientada transversalmente, a covinha de’implantação.
  • eu’acrossomo : Ele é achatado e cobre 2/3 núcleo anterior. C’é uma vesícula com conteúdo homogêneo, limitada por uma membrana. inclui 2 segmentos, d’aparência diferente e significado fisiológico :

– O segmento principal, para a frente, a tampa 1/3 prévia do núcleo e é 70 nm d’espessura. Ele contém hialuronidase. Sua membrana interna é separada da’envelope nuclear por l’espaço subacrossomal, de 20 nm.
– O segmento equatorial, de volta, cobre o 1/3 significa o núcleo. Sua espessura é 25 nm. C’é principalmente neste segmento’acrosine. A membrana interna é sobre 40 nm de l’envelope nuclear.

  • o citoplasma : Ele é muito pequeno e é uma lâmina em torno do terço posterior do núcleo, atrás do’acrossomo..
  • pescoço : C’é a área de junção entre a cabeça e o flagelo. C’é uma região muito complexa que contém o’dispositivo centriolar e o conector em forma de D’funil derrubado.

A partir do núcleo pode ser descrita :

  • Le proximal centriole : Está disposto sob a covinha d’implantação. Seu eixo é quase paralelo à superfície posterior do núcleo e faz um ângulo de 80 ° com o do’axoneme.
  • o 9 fibras densas : Eles são compostos de proteínas do citoesqueleto. Eles dobraram o interior das colunas segmentadas e estender para o resto do flagelo.
  • O complexo filamentar axial : ele s’é formado pelo alongamento do centríolo distal e começa aproximadamente na metade das colunas segmentadas. Com uma localização central, fibras densas dentro, tem a estrutura usual d’um eixo ciliar : 9 dupletos periférica que rodeia um centro dupleto.
  • mitocôndria : para’exterior de colunas segmentadas, elas constituem o início da manga mitocondrial continua na parte intermediária do flagelo.
  • Os compreende flagelos 3 moedas.

– A peça intermédia : C’é a parte mais curta e mais grossa do flagelo. Ele é limitado, na sua extremidade distal, por um espessamento da membrana do flagelo, eu’anel (correspondendo a microscopia de luz anel eu Jensen). Transversal , em observar, do centro :
→ L’axoneme ou complexo filamentoso axial que possui a estrutura típica de l’axonema ciliar : 9 dispositivos dobletes microtúbulos cercar um gibão Central.
→ A 9 fibras densas – manga espiral mitocondrial. Ela envolve fibras densas e é composta de’uma sucessão de mitocôndrias dispostas em um único arquivo espiral que é aproximadamente 40 tours.
→ A membrana plasmática.

– A sala principal : Sua estrutura é a mesma em toda a sua extensão, com, do centro :
→ A axial filamentar complexo que continua a da peça intermédia.
→ A 9 fibras densas. Eles s’refinar para’extremidade distal
→ A bainha fibrosa. ele s’atua como uma proteína fibrilar enrolada em espiral. Esta manga tem dois espessamentos diametralmente opostas : colunas longitudinais. Aproximando-se do’fim da sala principal, as colunas longitudinais s’apagar el’a espessura da bainha fibrosa diminui.
→ A membrana plasmática do flagelo.

– A peça de extremidade : Ele tem uma estrutura simplificada com :
→ A axial complexo centro filamentoso.
→ A membrana plasmática.

B- espermatogênese :

Espermatogênese começa por volta 13 -14 anos, na puberdade, e continua até’em uma idade muito avançada. Ocorre no’interior de tubos seminíferos. Sua duração é fixa e característica de’uma espécie.

1- fase de multiplicação :

espermatogônias, estirpes diplóides (2n cromossomas et 2n ADN), multiplicam por mitose. Estas são as a maioria das células germinais periféricas. Eles são no compartimento basal do tubo, em contacto com a membrana basal e células de Sertoli.

  • Al espermatogônias ou Ad (Sombrio) são as verdadeiras células-tronco.
  • Espermatogônias A2 ou Ap (pálido) representam a primeira etapa da própria célula espermatogênese e ter uma vida de 18 dias antes dividindo-se em 2 espermatog�ias B.
  • A divisão B espermatogônia depois 9 dias para 2 espermatócitos I, o 2 espermatócitos não se separam completamente, As pontes citoplasmáticas persistem até’no final da espermatogênese, permitindo trocas entre todas as células decorrentes de’mesma região e permitir evolução síncrona.

2- fase d’aumentar :

Diz respeito aos espermatócitos I e corresponde esquematicamente à’interfase e prófase inicial da primeira divisão meiótica. O tamanho da célula aumenta a acumulação de material sintetizados. Quando’eles atingem o tamanho máximo, de 25 PM, eles são designados pelo nome de’auxócitos.

3- fase de maturação :

Trata-se espermatócitos. ele s’basicamente age’maturação nuclear, esta fase corresponde ao meiose. Prophase é longa (sobre 16 dias). No final da prase, les espermatócitos I renferment 2n cromossomas et 4n ADN.

  • A primeira divisão meiótica (divisão editorial). Ela ocorre após 23 dias. Prophase continua a metaphase, eu’anáfase e telófase. Esta primeira divisão resultados na formação de dois espermatócitos de segunda ordem ou espermatócitos II. Cada espermatócito II tem a metade do número de cromossomas presente em I espermatócito
  • A segunda divisão da meiose (divisão equational). ela ocorre 24 horas após o primeiro. Cada espermatócito secundário dá origem a 2 espermátides, haplóides. Eles vão dividir mais. espermátides (n cromossomas, n ADN) são pequenas células redondas.
Figura 5. Esquema geral de espermatogênese

4- fase de diferenciação (spermiogenèse) :

Espermiogênese é específico para gametogênese masculina. Ele corresponde à transformação de cada um s em espermátide permatozoïde. Esta fase dura 23 dia e termina com a libertação de esperma dentro do lúmen do túbulo seminífero, fenômeno chamado spermiation.

espermiogênese inclui 5 fenômenos básicos que são praticamente simultânea :

uma- Formação de’acrossomo do Golgi :

As vesículas de Golgi desenvolver, tornar-se grânulos pró-acrossomal em seguida, mesclar a uma única vesícula, acrossoma vesícula (ou acrossoma) quem é’se espalha e cobre o 2/3 núcleo. Ela leva o nome de’acrossoma e seu conteúdo se torna homogêneo. eu’acrossoma é um grande lisossomo que estará localizado no polo anterior do futuro esperma. O seu conteúdo enzimático será essencial para atravessar os envelopes da’oócito durante a fertilização (hialuronidase, acrosine).

b- flagelo formação :

o 2 centríolos migram para o pólo oposto’acrossomo. Les microtubules du centriole distal s’alongar es’organizar em um axonema que s’prolonga e emerge da célula empurrando a membrana plasmática.

c- alongamento nuclear :

alterações nucleares começar em meados espermiogênese. O núcleo s’gradualmente aumenta e densifica. o 2/3 anterior do núcleo são cobertos por l’acrossomo. O terço posterior está relacionada com o citoplasma da célula.

d- formação manga mitocondrial :

As mitocôndrias estão dispostas de ponta a ponta em espiral ao redor da porção inicial do’axoneme, que constitui a peça de manga mitocondrial Intermediário. Na sua extremidade distal, a manga é limitada por um anel denso descrito sob o nome de’anel.

e- A eliminação do citoplasma :

A maioria do citoplasma é fagocitado por células de Sertoli. alguns estandes, que constitui o corpo residual (de Regaud). O restante será eliminado no estágio final de maturação durante a migração para o’epidídimo.

Figura 6. estágios spermiogénèse

C- CONTROLE neuroendócrino :

Com o pulsátil produção GnRH (Hormônio liberador de gonadotropina) por neurônios do’esse é o hipotálamo’instala função testicular. GnRH provoca a secreção pituitária de duas hormonas, FSH I LH. Ao nível testicular, esses hormônios têm as seguintes ações :

→ FSH permite o desenvolvimento de células de Sertoli e espermatogênese (função exócrina do testículo : a excreção de esperma). liga-se aos receptores de membrana de FSH de células de Sertoli e desempenha um triplo papel :

  • ativa a espermatogênese por’intermediário do citoplasma sertólio;
  • estimula a formação de’ABP (Andrógeno vinculativo Proteínas);
  • isso causa a separação de’inibir, hormona exerce uma rétrooontrôle negativo sobre a secreção de FSH, quer neurónios hipotalâmicos, diminuindo a secreção de GnRH, quer directamente sobre a gonadotropina de células de pituitária.

→ LH fornece múltiplas dobras * A uma célula / dg e secreção de testosterona (a função endócrina do testículo) :

  • a maior parte da testosterona entra no citoplasma sertólio, onde se liga ao’ABP para condicionar o desenvolvimento de’epitélio seminal e o bom funcionamento do trato genital (fluido seminal);
  • testosterona livre passa dan s sangue e ecerce dezembro "Compartilhar: um efeito positivo sobre o tracto reprodutivo e lesglandes Ann © estes e um feedback negativo sobre a secreção de LH, ou indirectamente sobre os neurónios hipotalâmicos ^ quer directamente sobre as células de pituitária de gon adotropes
Figura 7. Esquema de Síntese de horntonaui h f controlos humanos função reprodutiva

D- CARACTERÍSTICAS DO ESPERMA :

1- nome :

  • O normozoospermie significa uma contagem normal de espermatozóides entre 20 e 200.106/ ml.
  • eu’oligozoospermie (ou oligospermia) significa uma contagem de esperma de menos de 20.106/ ml.
  • eu’azoospermia está lá’ausência de esperma.
  • La polyzoospermie (OU polyspermie) refere-se também muitos, superior 200.106 / ml.

2- mobilidade :

Ele permite que o crescimento no trato genital feminino e afeta o esperma fertilização. Ele inclui a percentagem de espermatozóides móveis, a velocidade de deslocamento e a direcção da viagem.

  • eu’astenospermia significa uma porcentagem de espermatozóides com mobilidade normal menor que 40% e / ou uma diminuição da velocidade.
  • eu’Akinesis refere-se ao fato de que’ nenhum esperma de movimento.

3- vitalidade :

Ele é digitalizada utilizando um corante que entra no esperma

  • O necrospermia denota um número de espermatozóides morto do que 30%.

4- fertilizante :

Ele é reduzida se as anormalidades na membrana plasmática, de’equipamento enzimático’acrossomo, ou condensação do núcleo.

5- morfologia :

É avaliado pelo spermocytogram que cai esperma atípico morfológica após coloração. todos ejaculado, no’raça humana, contém esperma atípico. Demasiado grande proporção é anormal.

  • O teratospermia designa uma percentagem de esperma abaixo típico 40%.

OVOGENÈSE :

C’é a formação de gametas no sexo feminino. Realiza-se nos ovários e permite a formação de gametas femininos, oócitos a partir de células estaminais da linha germinal ou ovogônias.

UMA- CONDUÇÃO DO’OVOGENÈSE :

eu’oogênese inclui as fases de multiplicação, d’crescimento e maturação. Fase d’crescimento e início da maturação s’executar em’dentro do folículo ovariano e estão relacionados à’evolução deste folículo. A fim de maturação é retardada. ele s’termina após a fertilização. que n’não há fase de diferenciação.

1- fase de multiplicação :

Trata-se da oogonia, células tronco diplóides e é caracterizada por uma sucessão de mitoses que levará à formação de’ovócitos I (top-notch), também diplóide. Esta fase ocorre, em mulheres, durante a vida embrionária e fetal. As ovogonias são observadas na área cortical da’ovário embrionário, tem uma forma esférica e são pequenos (15PM), degenerado, principalmente, ao 7º mês de vida intra-uterina (atresia), Dou oócitos (2n cromossomas, 2q ADN), células maiores (20 para 40 PM), que imediatamente após o treinamento’cercam células foliculares ed’uma membrana periférica que os separa do resto do estroma ovariano, eu’conjunto que designa o folículo primordial, Então eles começam a primeira divisão meiótica, que não reage na fase de profase. eu’o oócito entra em um estado quieto no qual pode permanecer por muitos anos (oócito bloqueado na prófase da primeira divisão da meiose até’na puberdade).

assim, no final desta fase de multiplicação (nascimento), one-time estoque ovo I (cerca de um milhão) consiste, cada contido num folículo primordial.

2- fase d’aumentar :

É caracterizada por um aumento muito significativo no tamanho da’ovócito I, passando de 20 para 120 pm de diâmetro. muito longo, ela não é’complete isso’no momento da maturação do folículo e consiste em sínteses de’RNA e proteínas que desempenharão um papel crucial durante a fertilização e nos estágios iniciais do desenvolvimento embrionário.

Os folículos primordiais regredir em grande número entre o nascimento ea puberdade :

  • ela só vai 400 000 na puberdade ;
  • menos 500 vai crescer’para’ovulação durante a vida genital de uma mulher.

3- fase de maturação :

todos os meses, na hora de’ovulação, eu’ovócito I (2n cromossomas, 4q ADN) completa a primeira divisão meiótica e dá um oócito II (n cromossomas, 2q ADN) com a emissão de 1é globule polar Imediatamente depois, começa 2th divisão meiótica. Mas o processo ainda paira uma vez (em metáfase 2th divisão meiótica) Um é condicionada pela ocorrência ou não-fertilização :

→ em l’ausência de fertilização, eu’oócito permanece nesta fase da meiose e degenera após 24 horas.

→ s’há fertilização, eu’oócito II completará sua maturação e se transformará em um óvulo maduro(ovotide) com a emissão de 2th corpo polar.

Figura 8. fases oogenesis

B- EVOLUÇÃO dos folículos ovarianos (FOLLICULOGENÈSE) :

1- folículo primordial :

  • C’é sempre o tipo mais abundante de folículo em um corte de’ovário.
  • C’é uma esfera de 50 mícrons de diâmetro, que compreende um oócito I e uma camada de células achatadas folicular.
Figura 9. coelho ovário folículo primordial. Stade 1: folículo primordial. x1000 objetivo de ampliação de imersão.

2- folículo primário :

  • Seu diâmetro passagem 50 a 80pm. eu’oócito I ainda está prófase bloqueado, começa a grande fase de crescimento.
  • As células foliculares tornar-se corte e estão dispostos em uma única camada.
Figura 10. Observação microscópica do folículo primário’ovário de coelho. ampliação x 400

3- folículo secundário (ou folículo pré-antral ou completo) :

  • O seu diâmetro gradualmente senha 80 para 200 PM.
  • eu’oócito eu continua a crescer (e chegou 80 pim).
  • A zona pelúcida torna-se visível por microscopia de luz (c’é uma estrutura hialina, composto por glicoproteínas das quais l’origem é essencialmente oócito, mas as células foliculares fazem parte).
  • As células foliculares se multiplicam e estão dispostas em cerca de vinte camadas ao redor do’oócito que constitui a granulosa. A camada mais interna, disposée régulièrement em torno da membrana transparente, se nomme o Corona Radiata.
  • A membrana separa Slavjanski granulosa da teca interna que se forma em torno da membrana basal por diferenciação do estroma cortical.
  • células, inicialmente fusiforme, tornar cúbico.
Figura 11. Observação microscópica do folículo secundário’ovário de coelho. x400 ampliação.

4- folículo terciário (ou cavitária ou antral) :

  • As células foliculares de pequenas cavidades circundantes liquidiennes cuja confluência será Birra.
  • É definido por l’aparecimento de pequenas cavidades na granulosa que contêm um líquido chamado folículo folicular » ». Estas cavidades são pequenas formações rosetas, o « corpo de Call e Exner ».
  • O diâmetro folicular continua a aumentar a 10 para 15 milímetros, no final desta fase.
  • eu’oócito ainda está bloqueado na prófase I e atingiu 100 pm de diâmetro.
  • A membrana d pelúcida 15 pm d’espessura. A proliferação celular contínua. eu’oócito é empurrado de volta para o lado do folículo. Ele permanece cercado por’um aglomerado de células da fé que constituem o Cumulus oophorus (Cumulus OU proliger) quem mantém o’oócito ligado ao resto do folículo.
  • A biblioteca externa é formada em torno da anterior. C’é tecido conjuntivo fibroso que condensa em torno da teca interna.
Figura 12. Observação microscópica do folículo terciário’ovário de coelho. ampliação x 40

5- madura folículo (folículo de Graaf) :

  • Seu diâmetro é de 18 ou mesmo 20 milímetros.
  • eu’oócito tem um diâmetro de 120 para 150 PM.
  • Os migra do núcleo para a periferia do citoplasma e recomeça o processo de meiose.
  • A divisão de redução s’completo es’acompanha’expulsão do primeiro corpo polar. eu’oócito torna-se oócito II.
  • Depois de’ovulação, ele irá bloquear no metaphase 2th divisão meiótica.
  • A área pelúcida aumenta ligeiramente d’espessura.
Figura 13. Observação microscópica do folículo de De Graaf’ovário de coelho. ampliação x 40

C- OVULAÇÃO :

A libertação do gameta feminino é l’ovulação. Ela ocorre no meio do ciclo feminino, o 14th dia do ciclo menstrual. eu’cumulus s’é então destacado do resto da granulosa (debaixo’ação d’enzimas proteolíticas) e flutua na cavidade folicular, a parede folicular permanece no’ovário e constitui o folículo deiscente.

  • o folículo maduro se projeta da superfície do’ovário.
  • a teca interna, vasodilatação provoca um aumento no volume da cavidade folicular.
  • colapso da membrana Slavjanski
  • eu’oócito rodeado por células foliculares flutua no líquido folicular
  • Na região de’ápice, vasoconstrição e necrose da parede do ovário

eu’oócito completa sua maturação citoplasmática e nuclear, o que resulta na formação de’oócito II, que bloqueará a metáfase da meiose II.

Na hora de’ovulação, a bandeira do tronco, Móvel, cubra o’ovário. Ele recupera o’oócito II. mobilidade adequada bandeira tubária é essencial para a função reprodutiva. rapidamente, eu’óvulo migra para cima’para’bulbo tubular onde ocorre a fertilização. A migração é passiva. Isso é facilitado pela corrente líquida que vai do pavilhão até a’útero e os movimentos vibratórios das pestanas do’epitélio tubário.

eu’oócito é uma célula esférica de 150 pm de diâmetro, relativamente inerte, rodeada de envelopes

D- FORMAÇÃO corpo amarelo :

Imediatamente depois de eu’ovulação, o folículo se torna uma glândula endócrina temporária, lutea (luteinizante). As células da granulosa e da teca interna alterar as suas sínteses hormonais e tornarem-se células lútea, e para luteais desenvolvendo progesterona e pouco d’estrogênio.

S’ele n’não há implantação, os regride corpo lúteo (lutéolyse). C’é o corpo lúteo cíclico ou o corpo de progestina.

Depois de’involução do corpo lúteo, persiste no’ovário uma pequena massa de tecido fibroso, corpo ou corpo albicans branco.

– S’existe gestação, o corpo lúteo persiste até’o 3th mês. C’é o corpo amarelo da gravidez ou o corpo gestacional. Sua função é produzir progesterona para manter a gravidez.

Figura 14. Representação esquemática do’ovário humano : formação de ovulação e corpo lúteo

Curso do Dr. A HECINI – Faculdade de Constantino