linfática e linfonodos citologia aspirativa

0
7830

1- INTRODUÇÃO- DEFINIÇÃO :

  • Os nódulos linfáticos são pequenos órgãos, em forma de rim, encapsulado, alguns milímetros de comprimento (5mm a 10 milímetros), ao longo da rota de canais linfáticos (circulação da linfa).
  • Os gânglios linfáticos são órgãos linfóides periféricos (disse secundário ) ,sites dimmunopoièse c.a. d de production de cellules lymphoides dépendantes de lantigène par opposition aux organes lymphoides centraux qui sont des sites de lymphopoïèse c.a.d de production de cellules lymphoides indépendantes de toute stimulation antigénique.
  • Ils constituent des filtres de la lymphe et jouent un grand rôle dans la défense de lorganisme vis-à-vis des micro-organismes (vírus, bactérias etc.…) e a propagação de células de cancro.

2- LOCALIZAÇÃO :

  • Regiões cervicais, axilar, inguinal.
  • regiões pré-vertebrais ou eles acompanham grandes vasos torácicos e abdominais.
  • Dobras membros dobra.
  • No hilo do vísceras torácicas e abdominais.
  • Na raiz e entre as camadas do mesentério.

3- estrutura histológica :

Cada nó de linfa tem que descrever os quatro componentes :

  • Um quadro conjuntiva
  • A parênquima linfóide
  • os vasos linfáticos
  • A Rede de sangue

UMA- CONJUNTIVA FRAMING : constituído por :

uma- Uma cápsula de tecido :

– feita de fibras de colagénio e fibras elásticas e de alguns.

– permite linfática vasos aferentes e eferentes.

b- baías conjuntivas :

– interfolliculaires : que separar da cápsula, penetrar os cubículos corticais e delimitar que se comunicam uns com os outros em sua parte profunda.

– intercordonnales : arranjo irregular, estender vãos interfoliculares e encontram-se num núcleo fibroso = o hilo.

c- um tecido reticulado :

  • s’insère sur la charpente conjonctive.
  • chama uma grande grelha de malha que suporta as formações linfóides .
  • inclui : * células reticuladas = macrófagos fixos (capaz de mobilizar e tornar-se macrófagos gratuitos).

*fibras de reticulina.

B- parênquima linfóide :

Por ele distingue dois deveres zonas para a distribuição inégale des linfócitos.

uma- zona periférica = ZONA CORTICAL :

  • Denso, ocupa região periférica do nó.
  • Ele é dividido em duas partes :

1- um cortical externa :

  • Em sua superfície é o SOB SINE- CAPSULAIRE ou marginal qui est constitué dun réseau lâche de cellules réticulées, fibras de reticulina e macrófagos.
  • Le sinus sous-capsulaire communique avec les sinus médullaires par lintermédiaire des sinus corticaux qui cheminent à la surface des travées conjonctives.
  • La zone corticale externe est formée dun tissu lymphoide organisé en des structures sphériques appelées : FOLÍCULOS LYMPHOIOES.

2- um cortical interna : chamado áreas para-cortical :

  • Ele é contínua com a cortical externa.
  • Ele corresponde à área de timo-dependente ou linfócitos são do tipo T (LT).
  • É desprovido de folículos linfóides.
  • É caracterizada pela sua especial vascularização feito veinlets POST- CABELO (células endoteliais cúbicos) através do qual as células migram a partir do fluxo de sangue para o córtex profundo.

3- folículos linfóides :

  • Eles estão dispostos em uma única camada na periferia do córtex externo.
  • Estes são formações esféricas ou densidade celular livre é maior do que em outras regiões
  • on distingue :

– folículos primários = agrupamentos de células arredondadas, denso, constitués dune population de LB (au niveau de ces follicules on nobserve pas de réponse immunitaire mais une multiplication accrue de LB).

– folículos secundários : correspondem aos folículos primários modificados.

Eles têm um centro claro chamado centro germinativo ( em que a reacção imunológica está a ter lugar ) entouré dune couronne lymphocytaire dense.

b- ZONA CENTRAL ZONA = MEDULLARY :

  • Claire, que ocupa o centro do nó e da região hilar.
  • Ele consiste em :

1- cordões medulares :

*que aparecem como extensões do córtex medial.

*eles contêm LB, células plasmáticas e macrófagos.

*que são separadas por cavidades medulares dilatadas chamados Sinus .

2- SINUS MEDULLAIRES :

A sua estrutura é comparável à que no seio- capsular .

3- Menores TRAVEES INTER CORDON :

4- SUB FUNCIONAL PU LINFA :

O parênquima linfóide dos nódulos linfáticos é dividido em três compartimentos funcionais :

UMA- ZONA dependente B ou da zona B :

  • Corresponde ao território da cortical externa.
  • Colonizada pelos LB (largamente) os quais são agrupados em folículos linfóides que estão relacionados com um citoplasma matriz de células de células altamente ramificados chamado DENDRÍTICAS.
  • Antes de estimulação antigênica :
  • Zona B é linfóide organizado folículos primários (em repouso)
  • estes folículos são feitas de : – pequenos linfócitos B

– uma rede solta de células dendríticas

  • Após estimulação antigénica :

*aparecimento de linfóide folículos com o lado centro germinativo.

*estas estruturas têm :

une zone périphérique formée comme dans le follicule primaire de petits LB et d’uma rede solta de células dendríticas .

– Uma zona central : caracterizado por :

  • LB ativados : centroblastes você centrócitos
  • Uma rede mais densa de células dendríticas
  • LT (5 para 10%)
  • macrófagos

B- ZONA THYMO-UO dependendo zona T :

  • Representado pelo para-córtex ou predominantemente LT,
  • Caracterizado pela presença de células dendríticas (cellules présentatrices dantigènes)
  • A vascularização dessa área é especial, feita de vénulas pós-capilares, através da parede que as células migram a partir da corrente sanguínea para o para- córtex.

C- ZONA médullaire : células de plasma rico e macrófagos .

5- vascularização :

UMA- VASCULARIZAÇÃO LINFÁTICA :

  • A linfa entra no nódulo linfático por 5 para 6 vasos linfáticos relacionados que levam para dentro do seio sob- capsular.
  • Ela, então, ganhou os seios corticais que continua por seios medulares.
  • Estes confluência para formar o vaso linfático eferente que sai do nó de linfa pela região hilar.

B- vascularização sangüínea:

  • As artérias introduzir o hilo, cabeça para os folículos durante a caminhada nas trabéculas inter-cordonnales e dividir em arteríolas peri-folicular que por sua vez fornecem muitos capilares que chegam ao centro de cada folículo e, em seguida, retornar para a periferia e fluem em uma pós-venule capilar.
  • pós vênulas- capilares : são caracterizados por um endotélio (para células cubóides) que permite que as células do sangue venoso para o parênquima do linfonodo.

6- HISTPHYSIOLOGIE:

O nó de linfa executa várias funções :

  • Filtração da linfa : capacité darrêter les corps étrangers.
  • Os dispositivos não específicas : fagocitose de corpos estranhos por macrófagos.
  • imunidade humoral : élaboration danticorps circulants par les LB.
  • imunidade mediada por células : fornecida por LT.

7- LA CYTOPONCTIQN GANGLIONNAIRE :

A biópsia do linfonodo aspiração é um gesto simples, não invasivo, pouco doloroso, fácil de conseguir antes de qualquer linfadenopatia ( c.a.d toute augmentation de taille dun ganglion ).

  • JUROS : elle permet souvent une orientation diagnostique rapide vers un contexte réactionnel bénin ou vers une pathologie tumorale imposant alors la réalisation dune biopsie pour une analyse histologique .
  • TÉCNICA : que consiste na introdução de uma agulha fina e curtos (25G) no’adénopathie après avoir immobiliser cette dernière entre deux doigts et à faire plusieurs allers et retours accompagnés dune rotation de laiguille et à réaliser quelques frottis avec le suc ganglionnaire recueilli.
  • Dans tous les cas la cytoponction ganglionnaire permet dorienter rapidement le diagnostique et apporte une aide au choix des examens complémentaires à réaliser.
FIGURA 1 : coupe sagittale dun ganglion lymphatique uma/organização geral b /sangue e vasculatura linfática
FIGURA 2 : SINE subcápsula
FIGURA 3 : cordões medulares e dos seios
FIGURA 4 : Corredor conjuntiva intercordonnale

Cours du DR N. AFOUTNI – Faculdade de Constantino