Leishmaniose visceral criança

0
7938

Eu- visão global :

protozoário parasita do gênero Leishmania; Tendo em comum:
– epidemiologia: transmissão por dípteros, sandfly;
– fisiopatologia : macrófagos infecto Leishmania, fagócitos mononucleares) anfitrião.
terapêutico: o mesmo MDCT são activos.
Três tipos de leishmaniose:

  • eu. visceral ou Kala Azul
  • eu. cutâneo.
  • eu. mucocutânea

II- INTERESSE PERGUNTA :

  • Afecto evolução espontânea é fatal; para o qual há uma TRT específica garantindo cura permanente.
  • Doença que n’não é incomum em nosso país e que atualmente está em extensão.
  • As medidas preventivas são possíveis.

III- PARASITOLOGIOUES DADOS :

1- o parasita :

  • ramo : protozoaire.
  • classe : flagelado
  • ordem : Kinetoplastidae.
  • família : Trypanosomatidae.
  • Gênero: leishmania
  • espécies : infantum

Evolui em duas formas : celular.
Após coloração MGG; ele aparece como uma cápsula ovóide 2 para 5 p de diâmetro, com um núcleo e um cinetoplástico
A forma amastigota : imóvel, e está no sistema retículo-endotelial em intra ou extracelular.
As formas promastigotas : está se movendo, é encontrado no intestino do vector e no meio de cultura, é alongado 15 em 20p de largura e está equipado com’um flagelo anterior livre que permite que ele se mova.

2- o vetor :

Sandfly apenas o sugador de sangue feminina piquenique adulto noite, assegurar a transmissão da doença.
Os aparece flebotomíneos no verão dando uma doença sazonal.

3- o reservatório :

forma zoonótica : com o cão como o tanque principal parasita ( Mediterrâneo, Médio Oriente, pau-brasil ).
forma anthroponotic : eu’o homem é a única fonte de infecção para o vetor (em; Sudão)

4- Ciclo :

O mosquito é contaminado pela picada um vertebrado parasitado (cão, chacal, ou o homem)
Uma vez no estômago, as formas amastigotas de Leishmania mudança promastigotas em multiplicar e infectar tornando o mosquito pólvora.
Uma nova refeição de sangue ; o mosquito-pólvora reintroduz as Leishmanias em um organismo saudável e elas serão fagocitadas pelos macrófagos e podem parasitar o’organização.
A transmissão pode ser feito :
Diretamente através do contato com lesões cutâneas de’um cachorro parasitado.
transfusão de sangue ou transplacentária incomum

IV- EPIDEMIOLOGIA :

na Argélia; VL tem aumentado ao longo 1981.
As áreas mais afetadas são a província de T1ZI-Ouzou, Bouira, Bejaia, Medéia, Chelef Constantine, Setif, Jijel, Tlemcen, Oran, BISKRA, Tamanrasset.
VL alcançou a criança 1 para 4 anos.
Comum em áreas rurais onde a vida é flebotomíneos favorecidas.
No mundo; la LV s’evita’condição endêmica em muitas regiões intertropicais e temperadas quentes.
eu’a incidência é estimada em 500.000 pé / o.
De acordo com’OMS, houve 57.000 mortes em 1999 e 41000 em 2000.
Considerando o período de’atividade máxima de flebotomíneos, casos são observados especialmente no final do outono e inverno, mais s’observe tudo’ano.

V- ESTUDO CLÍNICO :

UMA- Leishmaniose VISCERAL DU Nourrisson :

1- interrogatório de dados :

Noção d’a permanecer na zona d’endêmico.
Presença de um cão doente na comitiva com o envelhecimento anormal, emagrecimento, lesões de pele tipo depilação.
nível socioeconômico.
canker inoculação : vesicular-papular lesão fugaz secundária à picada de flebotomíneos.

2- o início :

incubação; Varia 6 semanas 6 mês; pode ser mais curto, depois 10 para 14 dias após a picada.
o início : insidiosa progressiva, às vezes brutal, marcada por febre , distúrbios digestivos com AEG.
eu’o exame clínico nesta fase encontra TPM discreta com distensão abdominal.

3- Fase d’estado :

a tríade :

FEVER + palidez + Hepato-splénomégalie

– febre :

  • multidões dizer
  • o sinal mais constante,
  • No longo prazo.
  • Irregular varia d’um momento para o outro, n’não é influenciado por antipiréticos,
  • A dupla PIC febril diariamente e temperatura > 40°
  • Ela produz apenas sob tratamento ou esteróides específico.

– Pálido cutânea mucosa: refletindo anemia intensa.
– o splénomégalie: empresa indolor volumosa moderada, Móvel
– a hepatomegalia : quasiconstante, moderada, fazenda indolor bordo regulares

4- Outros sinais clínicos :

TEMPO.
distúrbios digestivos tipo de diarréia com má absorção conduz à desnutrição. síndrome edematoso com ascite.
linfadenopatia.
Icterícia com uma síndrome hemorrágica com trombocitopenia.
manifestações respiratórias são frequentes.
A nefrite leishmania é extremamente raro, enquanto’a proteinúria é vista com mais frequência

B- estudos paraclínicos :

  • FNS : pancytopénie

– anemia normocítica normocrômica (sequestro esplénico, autohémolyse, falência da medula óssea).
– Leucopenia com neutropenia grave.
– trombocitopenia.

  • desproteinemia:

– taxa de sedimentação: mais rápido do que 50 mm / 1ª hora
– electroforese de proteínas: hipoalbuminemia, grande gammaglobulinémie hiper.

  • eu’immunoélectrophorèse: aumentar de IgG com ânodo característica extensão.
  • Hypocholesterolemia e hipertrigliceridemia

imunodiagnóstico :
em positivo 90% casos :
ELISA, IFI (+1/80), teste d’aglutinação direta
O problema encontrado com esses testes sorológicos é a possibilidade de reações cruzadas com d’outros patógenos e a incapacidade de distinguir entre doença ativa e infecção antiga +++
exames de certeza :
uma- eu’exame diretamente :
A punção da medula óssea é l’exame chave manchado com forma MGG Amastigote +++
A medula pode ser rico, pobre ou normal.
Reacção histio monocítica e eritro Blastosis.
Outros pontos de coleta: taxa, foie , Jeju, ganglionar.
b- Cultura :
É feita em meio de cultura NNN( novo,Mac Neal,Nicolle) no sangue do coelho.
Em MO punção. de incubação a 25 ° C durante 21 dias.
+++ forma promastigota
cultura interesse :
o resultado de um exame direto negativo
Typing iso haste enzimática.
teste terapêutico: In vitro de sensibilidade às drogas.
c- PCR : reacção em cadeia da polimerase :
Permite detectar o’DNA de parasita por amplificação de cadeia.
Negativo se parasitas lisadas.
d- Le teste Leishmania nested PCR [ LnPCR) :
PCR melhorada.
um diagnóstico de acompanhamento que você cansado.
e- Pesquisa d’antígenos solúveis na urina :
específico 100% com sensibilidade 47-100% em imunocompetentes
f- reacção Montenegro :
(leishmanina reacção intradérmica) é um teste que mede a resposta celular a’antígeno leishmaniano.
O teste é negativo ao longo da doença. 11 torna-se e permanece positivo após o trt atestando a restauração do’imunidade celular.

C- formas clínicas :

F. aigues: rápida evolução súbito.
.chroniques F: d’início lento por vários meses, geralmente leve.
.apyrétiques F: são muito raros.
F .ictérique: hepatite leishmania, bile compressão por um GGL, hemólise.
F .oculaire: ceratite, irite, hemorragia retiniana.
F. com doenças renais: hematúria + proteinúria
.associées F: tuberculose, malária, tifóide, hemoglobinopatias

WE- DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL :

brucelose, malária, leucoses, histiocitoses X, linfomas

VII- TRATAMENTO :

tratamento sintomático :

A transfusão de concentrado de glóbulos ou de plaquetas.
ATBpie se superinfecção bacteriana
Restauração do’doença: correção dos distúrbios eletrolíticos e desnutrição.

tratamento específico :

Após a melhoria do’condição geral e avaliação pré-tratamento : hepático, rim, cardíaco(ECG).

uma- derivado de l’antimônio : pentavalentes antinomias: o Glucantime:
dosagem : 20mg / kg / dia, em duas injecções de doses progressivas IM profunda.
apresentação : 5 ml contém 425mg d’antimônio, se 85 mg d’antimônio pentavalente / ml.
A duração total de 30 dias ou mais de 15 dias após a esterilização do mielografia.
efeitos secundários :
1- stibio-intolerância :
tratamento de parada impressionante.
várias erupções, myalgies, diarreia e vómitos, síndrome bulbar está tossindo coqluchoide, hipertermia , taquicardia.
intolerância anafilático ou libertação de substâncias tóxicas por lise maciça.
2- intoxicação antimônio :
tarde, ocorrendo no fim de TRT e mesmo depois pará-lo, ligada à overdose: danos nos rins, miocárdica ,hepático , polineuropatia , hematológico

b- amphotéricine B : fungizona utilizado por infusão IV

um controlo rigoroso de ureia , creatinina , ECG
complicações renais.

c- Anfotericina B liposomiale : Ambisome:

reduzida toxicidade renal, tratamento de primeira linha na Europa, devido à curta duração de’hospitalização.

VIII- EVOLUÇÃO :

A temperaturas normais em 3-15j.
estado geral: recuperação rápida de peso e’apetite.
hematológico: reparo progressivo de’primeira trombocitopenia, então eu’anemia, e leucopenia.
La taxa: rápida regressão vezes lento, seu desaparecimento leva várias semanas ou meses. a hepatomegalia : evolução paralela à do baço.
Os distúrbios protidic são muito mais lentos para corrigir os critérios de cura Giraud :
Apirexia por mais 2 mês.
a recuperação do peso
Ausência de parasitas mielografia.
Reacção positiva do Montenegro.

IX- resultado :

baço fibroso com hiperesplenismo.
cirrose.
anemia ligeira com buffy neutropenia moderada.
Hipergamaglobulinemia com eritroblastose persistente.

X- PREVENÇÃO :

Abate de cães vadios e doentes.
Urbanização conduta boa.
Uso d’inseticidas.

XI- Conclusão :

Doença grave se, para o qual TRT específica eficaz é um HPSM febril crianças devem sempre pensar na prevenção LV é possível garantir a erradicação da LV e cisto hidático

Curso da Dra. Bicha – Faculdade de Constantino