Porfirinas e pigmentos biliares (metabolismo’tudo)

0
10234

l / INTRODUÇÃO :

Porfirinas e pigmentos biliares estão intimamente ligados, Porque’O heme é sintetizado a partir de porfirinas e ferro, Temas e produtos de degradação são bile pigmentos e ferro

II / BIOMEDICAL Importância :

Conhecimentos de bioquímica e porfirinas tema é fundamental para entender as várias funções do heme.

Porfirias são um grupo de doenças provocadas por anormalidades da via biossintética de várias porfirinas. Sua prevalência é baixa, mas eles não devem ser ignorados, Dermatologistas especialmente os psiquiatras e hepatologistas.

eu’icterícia é um distúrbio muito mais comum que resulta de’níveis elevados de bilirrubina no plasma. (tema final catabólica)

III / O METABOLISMO DE L’HIME :

porfirinas naturais são compostos cíclicos formada de quatro anéis pirrol ligados uns aos outros por pontes méthényles (-HC ) os núcleos são numerados de I, II, III, IV. Substituições posições são numeradas 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8. cadeias laterais (metilado, propionato de vinilo) substituir os oito átomos de’hidrogênio. eu’arranjo de substituintes pode ser assimétrico. Um porfirina com este tipo de substituição é classificada como do tipo III porfirinas. Um porfirina que os substituintes estão dispostos simetricamente completamente é classificada como do tipo I porfirina. Apenas porfirinas tipos I e III existem na natureza.

Tipo III porfirinas são, de longe, o mais abundante e importante, porque este grupo contém Tema.

A / BIOSSÍNTESE DE L’HIME :

A síntese de l’O heme ocorre principalmente nos reticulócitos da medula óssea (o 5/6, destinado à síntese de’hemoglobina e um pouco no fígado 1/6, destinado à síntese de co-enzimas d’redox). o 2 materiais de partida são succinil-CoA, derivado do ciclo de l’ácido cítrico nas mitocôndrias e um aminoácido, glicina.

reação 1 : condensação de succinil-CoA e glicina seguida de’descarboxilação, para formar eu’aminolévulinate (ALA) ;

– limitando : eu’uma das etapas da regulação da síntese de l’heme no fígado.

Enzima : 0 -aminolevulinato sintase uma coenzima pH de piridoxal.

reação 2 : – condensação de desidratação de 2 moléculas porfobilinogênio -aminolévulinate em uma molécula (PBG). O anel pirrole é formado.

Enzima : sintase porphobilinogène.

reação 3 : condensação por desaminação 4 moléculas de porfobilinogênio para formar l’uroporfirinogena III (UPGIII). eu’anel tetrapirrol é formado, os anéis estão ligados por pontes metileno.

-Enzima : porfobilinogênio deaminase (tetrapirrol linear) e uroporfirinogênio III cosintetase (que cicliza-lo).

reação 4 : -descarboxilação de grupos acetilo em grupos metilo para formar o III coproporfirinogênio (CPGIII).

-Enzima : uroporfirinogênio descarboxilase.

reação 5 : descarboxilação oxidativa de grupos propanoyles C2 e C-4 do grupo vinilo para formar o protoporf irinogénio IX (PPGIX) ;

– Enzima : oxidase coproporfirinogênio.

reação 6 : oxidação das pontes de pontes de metileno méthènes para formar protoporfirina IX (PP IX).

Enzima : oxydase protoporphyrinogène.

reação 7 : eu’A etapa final da síntese do tema inclui l’incorporação de ferro ferroso na protoporfirina durante’uma reação catalisada pela Theme synthetase, ou ferrochélatase, ( 85% tema de síntese tem lugar em células precursoras eritróides da medula óssea e o resto em hepatócitos. O porf conter 6 átomos de’H adicional em comparação com as porfirinas correspondentes.

Estes porfirinas reduzidas, são o verdadeiro intermediário na biossíntese de protoporfirina e heme.

B / REGULAMENTO DA BIOSSÍNTESE L’HIME :

A finalidade da regulação da síntese do tema é diferente no fígado e nos reticulócitos :

  • No fígado, eu’a oferta de heme deve ser adaptada à demanda celular ( síntese principalmente citocromo) ; síntese depende :

+ A velocidade da reação limitante catalisada pela TALA sintase cujo Tema é l’inibidor alostérico (mecanismo menor).

+ transporte da TALA sintase do seu local citosólico sintético para o seu local mitocondrial d’açao ;

+ a síntese de ALA-sintase, cujo tema é um repressor ;

  • em reticulócitos, O tema deve ser sintetizado em grandes quantidades para garantir a síntese do’hemoglobina ; a sua síntese é dependente das enzimas da via de síntese cujo tema é um indutor.

C / A PORFÍRIAS :

São afetos de’origem genética do metabolismo do tema. Devido às mutações dos genes que codificam enzimas envolvidas na biossíntese de interesse. Eles não são frequentes, mas importante saber.

Seis principais classes de porfiria descritos, resultante de’uma diminuição em’atividade enzimática.

Como a maioria das doenças genéticas, sinais clínicos resultam de d’déficit de produtos metabólicos a jusante do bloqueio enzimático, ou d’uma acumulação de metabolitos a montante.

D / CATABOLISMO DE L’HIME :

visita’homem adulto, sob condições fisiológicas normais, 1 para 2 X 10 ? eritrócitos são destruídos / hora. Em um homem 70 kg, a rotatividade diária é d’cerca de 6g de’Hb.

Quando o’Hb é destruído no’organização, globina é degradada em amino ácidos, que são reutilizados, Tema e ferro que entra no conjunto global de ferro. fracção porfírica é degradada, principalmente nas células reticuloendoteliais do fígado, baço e medula óssea.

O Catabolismo Temático de Todas as Hemoproteínas’atuaria em frações microssomais de células por um complexo sistema enzimático chamado heme oxigenase.

bilirrubina, Tema formado por conversão química, é transportado para o fígado pela’albumina plasmática.

IV / metabolismo da bilirrubina :

Bilirrubina n’é moderadamente solúvel em l’água, mas sua solubilidade plasmática é aumentada pela ligação a l’albumina. No fígado, bilirrubina é destacada do’albumina e é absorvido na superfície sinusoidal dos hepatócitos por um sistema de transporte facilitado.

eu’O próximo passo é a conjugação da bilirrubina no retículo endoplasmático liso. Bilirrubina n’não é polar e persistiria nas células se não’não foi feito solúvel em água. Hepatócitos converter a bilirrubina em uma molécula polar, que é facilmente excretado na bílis por l’adição de moléculas’ácido glucurônico. As enzimas responsáveis ​​pela conjugação são as glucuroniltransferases localizadas principalmente no REL e utilizam l’Ácido UDP-glucurônico como doador de grupos glucuronosil. nos mamíferos, mais bilirrubina é excretada na bile como diglucuronide bilirrubina.

Secreção de bilirrubina conjugada na bile s’realizada por um mecanismo de transporte ativo.

A bilirrubina é reduzida para urobilinogénio (Composto tetrapirrole incolor) por bactérias intestinais ((3-glucuronidases). Em L’íleo terminal e cólon, uma pequena fracção de urobilinogènes é reabsorvido e réexcrétée através do fígado (urobilinogènes ciclo entero). normalmente, a maioria urobilinogènes incolores, formado no cólon são oxidados urobilines (compostos coloridos) e são excretados nas fezes. Escurecimento das fezes’o ar livre é causado por’oxidação de resíduos urobilinogênicos em urobilinas.

A hiper bilirrubinemia está em’origem de’icterícia.

icterícia EXPLORAÇÃO : quando os níveis de bilirrubina no sangue excedem 10 mg / l, falamos sobre’hiper biluribinemia.

eu’hiper biluribinemia pode ser devida a uma produção de bilirrubina superior ao que o fígado normal pode excretar, ou pode resultar de’danos no fígado que impedem’excreção de bilirrubina produzida em quantidades normais. no’ausência d’dano hepático, eu’obstrução das vias excretoras do fígado, o que impede a’excreção de bilirrubina, também podem causar bilirrubina hiper. Em todas essas situações, bilirrubina s’acumula no sangue, e quando se atinge uma certa concentrao (20 para 25 mg / l), ele se difunde para o tecido que, em seguida, se tornar amarela.(icterícia)

NB : falamos de bilirrubina direta, bilirrubina que reage diretamente com o reagente d’Ehrlich usado para dosagem em l’ausência de metanol (solubilização).

bilirrubina direta é a bilirrubina.

bilirrubina livre ou corresponde indiretas a bilirrubina não conjugada.

icterícia EXPLORAÇÃO

Curso do Dr. A.BENATTALAH – Faculdade de Constantino