Pólipos e colorectal polipose

0
9340

Eu- definição :

– A pólipo é uma lesão macroscópica salientes circunscritos dentro do lúmen do tubo digestivo, em que eles estão’implantar diretamente (séssil) ou por l’intermediário d’um pedículo (pedículo).
ele s’age de’uma entidade puramente macroscópica que cobre uma grande diversidade de lesões histológicas
– Dependendo do número de lesões é chamado
1- pólipo esporádica (1 alguns elementos)
2- polypose (10 para 100 ou mais elementos)
– A maior parte da polipose são hereditários, e estão associados com um maior risco de cancro.

pólipos

CLASSIFICAÇÃO :

1/ Pólipos que crescem à custa do revestimento :

A / pólipos neoplásicas :

  • Benin : adenomas = 80% (tubuleux, villous, tubuloviloso)
  • Malin : não invasivo e carcinoma invasivo

B / pólipos não neoplásico :

  • P Hyperplasique.
  • P Hamartomateux (juvenil)
  • P inflamatória : pseudopoype inflamatória – resposta inflamatória a corpo estranho – reacção granulomatosa no infecção parasitária.

2/ Pólipos que crescem à custa da submucosa :

  • Benin : lipome, léiomyome, hémangiome, fibroma, neurofibrome, pneumatose intestinal.
  • Malin : linfoma, carcinoïde, sarcoma.

Estudo de fórmulas diferentes Anatomia Clínica

I / pólipos neoplásicas : adenomas :

A / DEFINIÇÃO :

  • tumores benignos epiteliais que se desenvolve a partir das glândulas mucosas do cólon. Displásico CCR lesão risco de predisposição de rastreio implicam, assim.
  • adenoma : 80% de pólipos colorretais.
  • distribuição geográfica etiopatogênica : seguindo o CCI.

B / Anafat ः :

1/ macroscópico :

  • localização : predomina distais, idoso >60 ano a localização em vez proximal.
  • nome : Único : 2/3
  • formulário : pedículo : 2/3, séssil : 1/3

– tamanho : < 1cm : P pequeno, >2cm : P Grande

2/ microscópico : Adenomas r classificadas 3 s / GRP

uma- adenomas tubulares (80 – 86%, expressar displasia de baixo.
b- vilosidades adenomas : (8 – 16%), expressar displasia por vezes graves
c- Vilosidades adenomas túbulo (3-16%)

3/ Avaliação de displasia :

– Todos os adenomas : r por displásico definição.
– Na prática corrente : adenomas colorretais displasia apresentado em 2 categorias : displasia de baixo grau e de alta qualidade
– O potencial maligno é proporcional :

  1. o tamanho (<1cm :2%, 1-2 cm : 10% , >2 cm :50% )
  2. tipo histológico das vilosidades
  3. Severidade da displasia

C / Manifestações Clínicas :

A / CDD :

  • triagem :Rectosigmoidoscopie +++
  • acidental
  • Sintomas digestivos ou não específica.

B / sintomas clínicos :

A maioria dos doentes são assintomáticos, os sintomas podem ser:

  • específico : rectorragies (pólipo grande localizado para baixo), síndrome rectal ou diarreia secretora (tumor das vilosidades rectal)
  • inespecífica : dor abdominal, distúrbios de trânsito.

DRE : percebe que adenomas baixo e recto médio.

D / Ex. adicional :

1- Rectosigmoidoscopie :

realizando, porque os pólipos rectais são constantes.

2- colonoscopia : Padrão-ouro

  • Permite a detecção de pólipos, diagnóstico de pólipos degenerada.
  • Permite que um gesto teraptico.

3- LIBRA :

  • Detectar pólipos grandes (imagem lacunar)
  • N’de Anúncios’indicação de que’no caso de’falha ou IC na colonoscopia devido à baixa sensibilidade e à necessidade de evidências histológicas.

4- echo endoscopie :

Juros no balanço’extensão loco-regional de pólipos degenerados.

E / Evolution :

  • Sequência adenoma -kc : está bem estabelecido.
  • fator de risco déaénérésence :
  1. tamanho > 1cm : o risco é proporcional ao tamanho do’adenoma.
  2. tipo histológico : Alto grau maligno +++
  3. Grau de displasia : adenoma viloso ou tubuloviloso +++ evolui para cance.

F / TRT e monitorização :

A / Buts :

Evitar o risco de degeneração pela:

  • Ressecção de qualquer adenoma.
  • O estudo histológico de todo o pólipo.
  • procurando por’uma transformação maligna que muda o comportamento a ser assumido.
  • vigilância endoscópica.

2/ em movimento :

um / endoscópica TRT :

  • ações prévias :

– hospitalização
– Os testes laboratoriais : balanço patrimonial’hemostase (TCA, TP, folheto)
– Descontinuação de qualquer tratamento que afete o’hemostase : anticoagulante, antiplaquetária wafer

  • técnicas :

– Por laço eletrocoagulação.
– Excisão por um alicate quentes.
– Mucosectomie.

b / TRT cirúrgico :

  • Polipectomia way / endoanal : pólipo < 12-15cm da margem anal.
  • ressecção do cólon segmentar .

3/ indicações :

• pedículo :

– pólipo pequeno : pinça quente / ou laço.
– médio do pedículo : Por laço eletrocoagulação
– grande pedículo : laço diatermia se a cirurgia.

  • séssil : mucosectomia
  • tm villous : TRT chirurgical

4/ Rastreio e monitorização :

A / ATCD adenomatosa familiar pólipo :

  • Colonoscopia do’idade 40 anos ou 5 anos antes’idade do diagnóstico de caso familiar,
  • Seguido por’um controle em 3 anos para os seguintes casos :

– DCDS familiar de displasia de alto grau ou alto grau’câncer invasivo)
– adenoma antes 60 anos.

equipe B / ATCD pólipos adenomatosos :

  • colonoscopia 3 anos (em seguida 5 anos em caso de controlo normal) se villous quota, displasia de alto grau, ou história familiar de CRC.
  • colonoscopia 5 anos, se tubuleux <1 cm, sem história familiar de CRC.

II / pólipos não neoplásico :

1- pólipo hiperplásico :

– definição – generalidade :

– Vem na forma de’um alongamento das criptas glandulares, forrado com altura irregular de células que lhes dá 1 característica aspecto ondulado
– pólipos hiperplásicos esporádica st considerado desprovido de potencial maligno.

– Anapath :

– Macroscopie :

  • assento : Reto 3/4 caso (68% de pólipos rectais são hiperplásico)
  • nome : múltiplo
  • Tamanho = pequeno dois milímetros-6mm
  • Aspecto : séssil, cor superfície lisa

– Clinique :

  • assintomática + freqüentemente
  • Às vezes os sintomas não-específicos.

– tratamento :

  • Eles devem ser ressecados : porque podemos diferenciar os adenomas macroscopicamente
  • ele n ‘não é recomendado para realizar uma colonoscopia total se houver um pólipo distal.

2- pólipos juvenis :

  • C’é 1 pólipo hamartomatosa
  • Estes são pólipos retencional : múltiplas cavidades císticas enchidos com o muco, pus ou sangue,
  • mais comum em’criança < 10 anos.
  • muitas vezes única, pedunculated, 3MM-2 centímetros
  • assento : reto 85%
  • Sem potencial maligno tão único.
  • TRT : resseção

3- pólipos inflamatórios :

• Várias lesões inflamatórias localizadas podem tomar 1 polypoide aspecto

– IBD inflamatórias pseudo-pólipos
– Rx em corpo estranho granulomatosa
– Rx granulomatosa sobre a infecção parasitária…

gastrointestinais pólipos

1- Introdução :

  • Gastro intestinal pólipos: presença de poliplóides muitas lesões ao longo do tracto gastrintestinal.
  • O máximo de’entre eles são hereditários, e estão associados com um maior risco de cancro.
  • Genética avançada permitiu uma melhor compreensão.

2- Classificação polipose Gastrointestinal :

uma- polipose familiar :

  • adenomatosa : Polipose adenomatosa familiar.
  • Hamartomateuse :

Sd Peutz-Jeghers, polipose juvenil, doença de Cowden, P hereditária misturado.

b- polipose não familiar :

  • síndrome de Cronkhite-Canadá.
  • polipose inflamatória : SMALL – Devon.
  • lymphoïde polypose : hiperplasia nodular benigna – maligne lymphomateuse polypose.
  • outro : leiomyomateuse polypose – polypose Lipomateuse – pneumatose intestinal.

A / polipose adenomatosa familiar :

1- DEFINIÇÃO :

– doença hereditária autossômica dominante tem, ligado à mutação no gene APC (polipose adenomatosa coli), localizado no braço longo do cromossoma 5, caracterizado pela presença de mais 100 Os adenomas do cólon e do recto -> transformação maligna inevitável na ausência de TRT profilático.
– 2 tipos :

  • polipose familiar : sem eventos associados extra-cólon ;
  • Síndrome de Gardner : associados manifestações extra-colônicas.

2- EPIDEMIOLOGIA :

– freqüência :

  • Frequência de mutação APC : 1/10 000 nascimento.
  • Responsável de 1% muitas vezes CCR.

– Era :

  • freqüentemente : DC está entre 15 – 45 anos.
  • Adenomas aparecem no’adolescência.

3- ANATHOMOPATHOLOGIE :

– Macroscopie :

  • assento : reto (constante alcançado) ; cólon.
  • tamanho : tamanho muitas vezes pequenos.
  • nome : > 100 ; às vezes tantos incontável : aparência tapete alta lã.
  • formulário : séssil, pedículo, plano, festonné.

– microscopia : ou adenoma.

4- Estudo clínico e paraclínicos :

TDD : PAF na sua forma COLIC

1- Clinique :

1- CSD :

  • descoberta da possibilidade (outra patologia, triagem).
  • sintomas específicos não : dores abdominais, distúrbios de trânsito, rectorragies.
  • O início dos sintomas é temido degeneração.

2- exame físico : Normal neste formulário

  • procurar : sinais de degeneração (massa, TEMPO…) e manifestações extra do cólon (veja abaixo).

3- exame proctologia : pólipo entregue pelo’ânus, formação rectal.

2- Paraclinique :

1- endoscopia menor (rectoscopie, colonoscopia) : pólipos e biópsias visualizadas.
2- Total de eventos extra-cólon : sistemático :
FECHE (pólipos duodenais gastro), intestino delgado (pólipos), eco (tumor desmóide), fundo’olho, panorâmicas dentárias.

3- evolução :

1- Sans TRT : degeneração maligna : antes excepcional 20 anos, 100% à 40ans.
2- sob TRT : PC depende do’aparecimento de’outros locais : O mais grave é :

  • pólipos duodenais.
  • tumores desmóides

5- formas clínicas :

UMA- Formulários associados a d’outras manifestações extra-cólicas : Síndrome de Gardner

1- sintomas digestivos :

1- gástrico : pólipos :

-> Polipose fundus glandulocystic :

  • Sem potencial maligno.

-> Pólipos’entrar :

  • Digite adenomatosa 10% casos.
  • degeneração Rare : 2%.

2- duodenal : pólipos :

  • muito comum.
  • região predominantemente peri-ampular.
  • Digite adenomatosa.
  • risco degeneração é alta.

3- Jejuno e íleo : pólipos :

  • Digite adenomatosa.
  • degeneração : raro.

2- Extra-digestivos :

1- tumores desmóides :

  • tumor fibroso benigno, d’evolução lenta, nenhum potencial maligno.
  • assento : mesentério, parede ou cavidade abdominal, espaço retroperitoneal.
  • Mal limitada periferia e as estruturas adjacentes infiltrado sem invadir a pele.
  • Clinique : assintomática ou compressão (digestivo, urinário, vascular).

2- doença óssea : osteoma.
3- anomalias dentárias : dentes supranumerários ou ausentes.
4- ocular atingido : 80% casos.

  • manchas hipo- ou mais frequentemente hiper-pigmentação da retina.
  • Patognomônica se PAF : > 3 lesões que quer que o tamanho, ou 2 para 3 lesões, 1 alto.
  • Muitas vezes precede anos cólon adenomatosos.

5- pele alcançado : tumores benignos (cisto epidermóide ou sebáceas).
6- neoplasia associados :

  • cancros da tiróide papilares (mulher).
  • hepatoblastoma
  • Os tumores do sistema nervoso central : sob síndrome Turcot.

B- formas especiais :

1- síndrome Turcot :

associados :
– rectocolique polypose : com o risco de CCR antes.
– tumor do SNC (glioblastome, meduloblastoma).

2- PAF atenuada :

  • < 100 pólipos colorretais,
  • pólipos distribuição proximais e cancros, pólipos rectais são raros.
  • As idades mais tarde começar (atraso 15 ano em comparação com o PAF convencional)

6- TRATAMENTO :

UMA- MAS :

  • prevenir degeneração
  • eventos TRT e prevenção extra-cólon.

B- INDICAÇÕES E MEIOS :

1- colorectal alcançado :

1- cirurgia :

Duas opções cirúrgicas:
coloprotectomie com íleo anal anastomose (AIA)
colectomia com anastomose íleo (AR)

Coloprotectomie + AIA colectomia + AR
desvantagens
  • Adenomas e cancro da mucosa rectal residual.
  • Adenomas e cancro do revestimento do reservatório ileal.
  • Complicação da AIA
• Risco de câncer do reto remanescente
indicações • escolha TRT.
  • pólipos rectais < 10.
  • Ausência de cancro rectal
VIGILÂNCIA : não codificada • Low Endoscopy : para 6 mês, para 1 em seguida, a cada ano 2 anos. • Rectoscopie (cada 6 mês).

quando operar ?

no 3th década nos analosaxons país. Choveu no início anos f20 máximo Europa).

2- tratamento endoscópico :

  • Destruição : Laser Nd YAG, plasma de árgon.
  • Ressecção para’anse diathermique

Para pólipos adenomatosos gástricas, duodenal, ileal, restante rectal.

7- RASTREIO :

UMA- no’ausência d’análise genética :

  • Todos os indivíduos em risco (relacionadas com 1é grau em um sujeito que sofre de polipose)
  • vigilância endoscópica anual (com Bx sistemática) de lá’idade 11 anos acima’para 25 anos, então tudo 2 anos acima’para 35-40 anos.

B- Se a análise genética é realizada :

  • A mutação está presente prohylactique colectomia.
  • A mutação é colonoscopia ausente deve ser agendada entre 18 e 25 anos.

B / Jēgers Peutz

1- definição :

  • hereditário : autossômica dominante com penetrância variável : gene : LKB1.
  • caracterizado por : Polypose gastro-intestinale + Lentigines peri-orificial.

2- Anatomopathologie :

1- Macroscopie :

  • tamanho : qq. mm pode alcançar 5 cm.
  • assento : granizo (O mais frequentemente afectadas), cólon, estômago.

2- microscopia : hamartome.

3- manifestações clínicas :

1- Polypose gastro-intestinale :

  • sintomas : dor, HD basse, oclusão.
  • Não hamartomas degeneração.

2- Lentigines peri-orificial :

  • sarda : mancha castanha, noire, plana e não pruriginosa.
  • Aparece no 1º ano de vida.
  • topografia : peri-orificial, palmoplantaire.

3- ↑ risco de câncer :

  • Extradigestives : pulmão e genital (sua, cervical, tubária, ovário, testículos)
  • digestivo : hamartomas não relacionados, mas coexistência casas adenomatosos (estômago, intestino, cólon, pâncreas, trato biliar). risco : 13%.

4- tratamento :

  • pólipos do cólon : se ressecção sintomática ou grande.
  • pólipos granizo : resseção (endoscopia, se a falha : cirurgia).

5- Vigilância :

difícil :

  • cada ano : TG, mamografia, eco pélvica e testicular, esfregaço do colo do útero
  • cada 2 anos : endoscopia digestiva.

C polypose juvenil / :

1- definição :

  • hereditário : autossômica dominante.
  • caracterizado por : pólipos juvenis (> 3) predominante no cólon, mas com potencial violação de qualquer TD.

2- Anatomopathologie :

1- Macroscopie :

  • tamanho : qq. mm pode alcançar 5 cm.
  • assento : rectocolique ; raro e no estômago pequeno.

2- microscopia : hamartome.

3- manifestações clínicas :

1- Polypose gastro-intestinale :

  • sintomas : dor, HD basse, prolapso rectal, oclusão.

2- risco ↑ de CCR : co-existência de casas adenomatosos. risco : 15 % para 35 anos e 68 % para 60 anos.

3- eventos relacionados : defeitos de nascimento (músculo-esquelético, cardiovascualires…)

4- tratamento :

  • ressecção endoscópica. +++
  • colectomia + íleo-reto anastomose tantos.

5- Vigilância :

  • colonoscopia a cada 2 anos
  • 1relacionada com a era colonoscopia 1é grau idade precoce assintomática 12 anos.

Curso do Dr. L. Belghazi – Faculdade de Constantino