bactérias patogênicas de energia

0
7932

Eu- INTRODUÇÃO :

RELAÇÃO MICROORGAINSMES INFECCIOSA agente é mais conhecido com bactérias

  • BACTÉRIAS são amplamente na natureza e PLEDGE Metabolism : ESTES SÃO OS Saprophytes (DO’MEIO AMBIENTE, E sua presença é transitória)
  • A L’INVERSO, D’OUTRAS BACTÉRIAS ESTÃO AUMENTANDO AS DESPESAS D’UM ORGANISMO VIVO : ESTAS SÃO AS BACTÉRIAS PARASITAS. CE PARATISIME S’EXPRESSO EM 3 MODOS :
  1. SYMBIOSE : MÚTUO BENEFÍCIO COM METABÓLICA.
  2. commen SALISME : VOID COM VANTAGEM mas permanece PARASITISMO OBRIGATÓRIO.
  3. PARASITISMO VERDADEIRO : BACTÉRIAS SÃO PREJUDICIAIS PARA L’HOTE.

NESTE CASO : NA

  • As bactérias patogénicas ESPECÍFICO.
  • As bactérias patogénicas oportunistas.

+ BACTÉRIAS patógeno específico : CHUMBO NO DOENÇA TEMAS DE DEFESA mecanismos são NORMAL, v’ As bactérias patogênicas OPPOTUNUSTES : BACTÉRIAS

COMENSAIS OU SAPRÓFITAS QUE SE TORNAM PATOGÊNICOS QUANDO DEFESA DE L’HOST ESTÃO ENFRAQUECIDOS.

+ bactérias comensais : Estes não são geralmente causam MALADEIE

(EX : PELE DE REVESTIMENTO DAS BACTÉRIAS )

BACTÉRIAS Saprophytes : BACTÉRIAS DE L’AMBIENTE CUJA PRESENÇA É TRANSITÓRIA.

ESTAS BACTÉRIAS PODEM SER HOSPEDADAS SEM CAUSAR DOENÇAS = « PROTEÇÃO SAUDÁVEL »

✓ A VIRULÊNCIA É DEFINIDA COMO L’HABILIDADE D’UM RAMO PARA MULTIPLICAR EM L’ORGANIZAÇÃO.

+ O PODER PATOGÊNICO É L’CAPACIDADE DE CAUSAR TRANSTORNOS DE MÓRBIDA.

+ Virulência é um conceito quantitativo como patogenicidade é um conceito qualitativo.

II- VIRULÊNCIA :

Virulência é o resultado de fatores

ESPECÍFICOS PARA GERMS E MEIOS DE DEFESA QUE L’HOST DESENVOLVIDO PARA DEFENDER CONTRA ESTA AGRESSÃO.

uma- MEDIÇÃO DE VIRULÊNCIA :

  1. PELA AÇÃO D’UMA ESPÉCIE BACTERIANA EM MUITO D’ANIMAIS SENSÍVEIS.
  2. BEM, ON definitivo : FATAL dose mínima (D.M.M)
  3. MORTE DE TODOS OS ANIMAIS : A dose letal 50% (DL50)
  4. morte 50% ANIMAL DE EXPERIÊNCIA.

b- MUDANÇA NO virulência :

1- ATENUAÇÃO :

  • CONSERVAÇÃO, subculturas, LEVAR A ATENUAÇÃO OU MESMO EXTINÇÃO DA D VIRULÂNCIA’TENSÃO.
  • HEAT, A secagem lenta, REPICAGES FREQUENTES SOBRE MEIO DE CULTURA, ATTENUENT LA VIRULANCE
  • EXP : BCG STRAIN : TUBERCULOSE VACINA

2- EXALTAÇÃO VIRULENCIA :

  • Repetida por aprovação em um RECEPÇÃO HOST, ON ANIMAL
  • O EXP BORATOIRE : INOCULATION de um rato pneumococo / a cobaia em Mycobacterium TUBERCULOISIS
  • NATURELLMENT, O FENÔMENO mesmo é observado COM VÍRUS INFLUENZA ? SARAMPO, DE LA CEREBRO ESPINAL MENINGITE (O COMEÇO DE L’EPIDEMIA É BENIM, THE END é maligno com a morte)

• pagando ASSOCIAÇÕES MICROBIENNES exaltar SD

VIRULÊNCIA, EX : Streptococcus e difteria BACILLUS (Streptococcus REDUZIDO e dá a GENE TOX DIFTERIA BACILLUS que irá virulenta)

3- CONSERVAÇÃO DE VIRULÊNCIA :

  • NATURELLENMENT CEST PHENSOMENE DO esporulação
  • LABORATÓRIO : liofilização, secagem a vácuo , A TRES BAIXA TEMPERATURA.

4- FATORES RELACIONADOS A L’HOTE :

  • DE ACORDO COM’ESPESSURA ANIMAL :

EX : RATO E PENUMOCOQUE.

CARVÃO E OVINOS, HEN, HOMEM • DE ACORDO COM L’ERA :

mais expostos : SMALL – ERA.

  • pela nutrição :
  • A deficiência de proteína.
  • CORTICOSTERÓIDES
  • ANTIBIÓTICOS.
  • DE ACORDO COM LOCAL FACEURS :
  • Estreptococos e LESÕES VALVULAR SUPEREXPOSIÇÃO.
  • Staphylococcus coagulase negativo E CATHTER.

5- Fatores relacionados ao AMBIENTE EXTERIOR :

  • ESPECIALMENTE A FRIO, O tratamento imunossupressor, ETLA GATEWAY MICROBIANA ESPÉCIES .

III- As bactérias patogénicas AÇÃO :

ELA S’EXERCENET POR 3 GRUPOS MEIOS.

1- ELEMENTOS DE PROTEÇÃO DAS BACTÉRIAS :

 

UMA- adesinas : ENTRAR NO bactérias patogênicas AT MUCOSA : Furam através da superfície PROTEÍNA : adesinas

  • Estes são os NIVAUX adesinas DE PILI em algumas bactérias.
  • Dessas adesinas AGISSMENT especificamente com os receptores presentes GERAL ACORDO SOBRE HOST CELL (OSIDIC PARTE D’GLICOPROTEÍNA) Isso explica tropismo INTERAÇÃO DE CERTAS BACERIES PARA SITE DÁ OU ESPÉCIES ANIMAIS TIDOS
  • PRODUTOS DE BACTÉRIAS BIND em uma operadora EXTRACE L LI LAI RE (COLÁGENO, fibronectina). Œ ELES Vamos juntar depois para CÉLULAS com receptores PROTEÍNAS. CE conract pode ativar os genes em IMPUQUES Patogenicidade (MUITOS NEGATIVO EX bacilos gram : SALM0NEL1A5HIGELLA, Escherichia COU ENTEROPATHGENE, YERSINIA…) ESTES SÃO PROTEÍNA DE EXPORTAÇÃO DO SISTEMA ELETRÔNICO TIPO OU COMLEXE SECREÇÃO 3 (S.S.T.3)

B- INVASÃO : As bactérias patogénicas são capazes de mover em células nonphagocytic :

  1. POR processo conducente à ingestão de BACTÉRIAS, EQJVALENT fagocitose CLASSIC.
  2. POR interação e proteína bacteriana SUPREFICIELLE receptor de células.
  3. POR GENE invasivo e SISTEMA DE INJEÇÃO (= S.S.T.3)
  4. APÓS penetrou, Bactéria é partida em vacúolo :
  • OU’ELA CRUZA PARA ALUGAR EM OUTRO LUGAR.

OU’ELA PERSISTE.

OU’ELA MULIPUE LYSE.SE IN CYTOPLSM.

• CELLUE FINALMENTE ser morto invadiu CAN (por apoptose, toxina POR FORÇA)

C- RESISTÊNCIA A LA fagocitam :

PROTECÇÃO DE COMPONENTES, CÁPSULA, Ou formando PARIENTAL (PROTEÍNA ou polissacarídeos) PREVENIR FAGOCITOSE . ESTES SÃO OS pilha das bactérias EXTRA.

Persistência em PHAGOCYTEA :

Outras bactérias, NÃO CÁPSULAS, fagócitos Persistentes e aumentar mononucleares dentro da : ESTES SÃO OS bactérias patogênicas INTRA-CELL. ESTAS BACTERIANAS intra-CELLILAIRES são divididos em 2 GRUPOS :

CÉLULAS QUE SE MULTIPILAM DENTRO OU L’FORA DA CÉLULA = ESTAS SÃO OS INTRACELULARES OPCIONAIS

Aqueles que fazem MULTIPIENT apenas células DENTRO (MACROOHAGES, OR células epiteliais) : ESTES SÃO intracelular OBRIGATÓRIO

Outros elementos de protecção :

M PROTEÍNA de Streptococcus

estafilococos PROTEÍNA

Estes são antígeno que induzem a síntese

2- ENZIMAS bactériennes :

  • MUITOS, ELES lisar alguns básicos QUÍMICOS

EX : STREPTOKINASES : ACT NO CLOT facilitar a sua divulgação.

  • COAGULASE : PROMOVER CLOT (DE TROMBOLÍTICA).
  • LEUCOCIDINES : ALTERENT LES POLYNUCLEAIRES.

3- toxinas :

Enterotoxigenic Escherichia coli (diarreia do viajante), mesmo mecanismo como cólera (cf Vibrio)

Há dois VARIEDADE :

EXOTOXINES ; THETMOLABILES PROTEÍNA

endotoxinas : NATUREZA DA GLP = glucide lípido-Protèque.

UMA- ENDOTOXINGS :

EXTERNO MEMBRANA todas as bactérias Gram negativas CONTÉM lipopolissacarídeo

  • GLP, Liberado após lise de BACTÉRIAS, faible AG,
  • ENDOTOXINE = AG »0″ Certas bactérias GRAM (-) = ENTEROBACTERIES, PSEUDOMONAS.

EFEITOS TÓXICOS acontecer de duas maneiras :

EFFET PYROGENE : Aumentar a temperatura, POLUNUCLEAIRES REDUÇÃO.

EFEITOS TÓXICOS : doenças vasculares, Redução da pressão arterial, CHOC COLAPSO

Seu poder é TÓXICO menos em comparação com a de exotoxinas,

DO’ORDEM D’A D.M.M A10 -2 MG.

NB : endotoxine : 1932 POR Boivin Boivin AG DE =

  • APOIO DE LA = TOXICIDADE polyosides-lípido
  • PROTEÍNA (SOMENTE) = NON AG
  • PROTEÍNA + AÇÚCAR + Lipide = AG

B- EXOTOXINES : (Seu número SUPERIOR AO 300).

  • PRODUZIDO STAGE exponencial crescimento de bactérias da cultura NO TRECHO FILTRATION Centrifugação.
  • Seu poder tóxico é MUITO ALTA EM GERAL EX : TOXINA BOTULÍNICA

Toxina tétanique

Toxina DIPHTERIQUE

Ordem de sua D.M.M ARE 10-3 para 10-5 mg

• ELES ESTÃO FORTEMENTE ANTENCIANDO A SÍNTESE D’ANTICORPO

ESPECÍFICO, A SER ELEVADO EM L’ORGANIZAÇÃO. ESTES ANTICORPO(CA) ESTES SÃO

Antitoxinas quem são os vencimentos de base pelo ex sérothérapie : Soro anti BOTULINIQUES, -O soro anti tétano EXOTOXINQUE são transformadas Após a desintoxicação (TRATADO COM CALOR E FORMOL)

– eu’ANA TOXINA É A BASE DA VACINAÇÃO.

SEUS EFEITOS SÃO MOSTRADOS EM BAIXAS CONCENTRAÇÕES SEUS MECANISMOS D’AS AÇÕES SÃO VÁRIAS, COM SPECFIQUES :-A morte celular ;

-PERTURBAÇÃO D’UMA FUNÇÃO (REVERSÍVEL)

OUTROS MECANUSMES : ESCAPE O SISTEMA IMUNE

  • Ao longo destes MECANISMOS. USO DE BACTÉRIAS PATOGÊNICAS D’OUTROS MEIOS PARA ESCAPAR DA DEFESA DE L’HOTE EX :Bacilos gram negativos são patógenos AÇÃO RESISTENTE através da adição de estruturas de superfície que impedem a sua activação,OU QUE IMPEDE L’INSERÇÃO DO COMLEXO LÍTICO NA MEMBRANA EXTERNA
  • A IgA PROTEASE AT MUCOSA QUE O INIBENT IgA SECRETORY,
  • VARIAÇÕES de antígenos (AG)Superfícies de certas bactérias,
  • BACTÉRIAS em algumas mudanças podem ocorrer antigênica FREQUÊNCIA ELVEE.GRACE ADES MOBILE GENÉTICA ELEMENTOS (VARIAÇÃO D’ AG AFREQUENCE ALTA ,

EX : AGH DES SALMONLLES,

AG DOBRAR gonocócica,

CAPTURA DE FERRO :

BACTÉRIAS PATOGÊNICAS TEM SISTEMAS DE CAPTURA DE FERENTRANTES EM COMPETIÇÃO COM CHEY L RAIL CARRIERS’HOTE ( lactoferrine, transferrina)

IV- CONCLUSI0N pionts CLELES :

FATORES QUE PERMITEM DETERMINADAS BACTÉRIAS D’EXERCÍCIO QUE UM PODER PATOGÊNICO SÃO MÚLTIPLOS, Podem ser distinguidos

  • FATORES QUE HABILITAM BACTÉRIAS’IMPLANTANTE (ADESÃO- INVASÃO)
  • OS FATORES QUE HABILITAM D’ESCAPE HOST DEFENSES
  • E finalmente o FATORES DE AGRESSÃO "toxinas"

Curso do Dr. L. BECHIR – Faculdade de Constantino