Ovogenèse

0
12731

A formação de gametas nas fêmeas’chama oogênese.

Realiza-se nos ovários e inclui todas as alterações que permitem a formação de gametas femininos, oócitos a partir de células estaminais da linha germinal ou ovogônias.

Eu- CONDUÇÃO DO’OVOGENÈSE :

eu’oogênese inclui as fases de multiplicação, d’crescimento e maturação.

Fase d’crescimento e início da maturação s’executar em’dentro do folículo ovariano e estão relacionados à’evolução deste folículo.

A fim de maturação é retardada. ele s’termina após a fertilização.

Não há nenhuma fase de diferenciação. O gameta feminino é um ovócito secundário antes da fertilização.

MULTIPLICAÇÃO FASE :

Ela dérpule apenas durante a vida fetal, do 3e T no mês, na área cortical do’ovário fetal.

o oogonia, diplóide, multiplicar por mitoses sucessivos. Estas são células pequenas (15 PM), redondo e relativamente pobre em organelas, sem diferença morfológica próximas gerações.

O número de divisões sucessivas não é conhecido, mas formas ao redor 7.106 oócitos primários. Cada’rodeia com’uma camada de células foliculares para formar um folículo ovariano primordial.

uma- O folículo primordial :

C’é sempre o tipo mais abundante de folículo em um corte de’ovário.

C’é uma esfera de 50 mícrons de diâmetro, que compreende :

– Um oócito primário ou oócito primário

C’é uma célula redonda de 20 diâmetro de 30 pm..

Durante a vida fetal, ele duplica seu DNA e começa a meiose. Mas’evolução s’para na prófase da 1ª divisão, o diplonema

  • O núcleo é grande, um pouco fora. Ele mantém o seu envelope nuclear, mas cromossomas são aparentes. Há um grande nucléolo.
  • O citoplasma é pobre em organelas.

Uma camada de células foliculares achatada, endothéhformes.

Em mulheres jovens, às vezes você pode encontrar 2 oócitos em um folículo mesma, mas sua evolução é excepcional.

Desde a sua formação, a estrutura primordial follicule devient um quiescente aqui assegura a survie as células germinativas. Nesta fase, ele é insensível às influências externas.

II- EVOLUÇÃO DA folículo ovariano (FOLLICULOGENÈSE) :

Para a maioria dos folículos, evolução s’parar mais cedo ou mais tarde por um mecanismo chamado eu’atresia folicular.

Atresia folicular s’acompanha a morte do’oócito e resulta na reabsorção do folículo.

Trata-se de todos os folículos que cometem antes da puberdade (a quantidade muito pequena de’hormônios sexuais não permitem a revolução completa do folículo).

Atresia Para a maioria dos folículos se movendo durante a vida sexual ativa, desde a puberdade até a menopausa.

Ela provoca uma rápida diminuição no número de folículos :
7 106 para 7 desenvolvimento mês
1 106 no nascimento
350 000 na puberdade
8000 para 45 anos.

eu’a evolução completa dos folículos só pode ser feita durante a vida genital ativa (desde a puberdade até a menopausa). Durante este período :

  • sobre 450 folículos resultam na liberação de’um gameta maduro (13 por ano para 35 para 40 anos).
  • eu’evolução dos folículos é sincronizada com mudanças cíclicas nos hormônios sexuais (estrogénio e progesterona), responsável pelo ciclo menstrual 28 dias.
  • A libertação de’um gameta maduro (eu’ovulação) ocorre milçîu o ciclo menstrual, o 14e

As diferentes etapas do’evolução do folículo são definidas por seus aspectos morfológicos : folículo primário, folículo secundário e cavitação folículo ou antral.

O estágio terminal do’evolução, após o recomeço da maturação dos oócitos nuclear, será o folículo de Graaf.

uma- O folículo primário :

Seu diâmetro passagem 50 a 80pm.

– eu’ovócito I :

Ele ainda está bloqueado na prófase, começa a grande fase de crescimento. Seu tamanho aumenta a 50 PM.

As mitocôndrias e Golgi crescer. O plasma membrana de vilosidades entre glicoproteínas que emite irá formar o contorno da zona pelúcida. O último não é microscopia ei visível.

– As células foliculares :

Eles tornam-se corte e estão dispostos em uma única camada.

b- folículo secundário (ou folículo pré-antral ou completo) :

  • O seu diâmetro gradualmente senha 80 para 200 PM.

– L & rsquo; ovocyte I : continua a crescer (e chegou 80 g).

As sínteses estão activos. mitocôndrias multiplicam. O aparelho de Golgi e crescer microvilosidades da membrana.

– A membrana transparente :

A microscopia de luz visível. Esta é uma estrutura hialina, composta de glicoproteínas cuja origem é essencialmente oócito (mas as células foliculares em parte uma fabricação).

– células foliculares :

Eles multiplicam e estão dispostos em vinte camadas à volta do oócito. Eles são granulosa. A camada mais interna, disposée régulièrement em torno da membrana transparente, se nomme o Corona Radiata. As junções entre as expansões da membrana do oócito e as das células da coroa radiada. A presença destes processos celulares na zona pelúcida é por isso que aparece finamente estriado em microscopia.

– La membrana de Slavjanski

– A teca interna

Ele forma em torno da membrana basal por diferenciação do estroma cortical. células, inicialmente fusiforme, tornar cúbico. Eles adquirem receptores para LH. Eles irão gradualmente tomar as células personagens desenvolvimento de hormônios esteróides.

Theca interna inclui várias camadas de células e é ricamente vascularizado.

Nesta fase, a síntese de’esteróide hormonas, tanto granulosa pela teca interna é insignificante

No final da fase de folículo completo (antral folículos pré), parece, au sein granulosa, formações de roseta pequenas, o « corpo de Call e Exner ». A nível, as células foliculares circundantes pequenas cavidades cuja confluência liquidiennes constituirá Birra.

c- folículo terciário (ou cavitária ou antral) :


É definido por l’aparecimento de pequenas cavidades na granulosa que contêm um líquido chamado « Folículos foliculares »

O diâmetro folicular continua a aumentar a 10 para 15 milímetros, no final desta fase. eu’evolução do folículo terciário pode se decompor 2 estágios :

– Folículo não hormonogen. Seu diâmetro passagem 0,2 para 2 milímetros. Nesta fase de crescimento permanece pouco e hormônio de produção é insignificante.

– Folículo terciário hormonogen. De um diâmetro 2 mm, crescimento folicular torna-se sensível aos hormônios es’acelera sob o’influência da estimulação hormonal. produção hormonal aparece e rapidamente torna-se importante.

eu’atividade endócrina’ovário será a soma das atividades dos folículos formadores de hormônios presentes no’ovário em algum momento.

Todas as estruturas do folículo envolvidos no desenvolvimento.

– eu’oócito :

Ele ainda está bloqueado na prófase I e alcançou 100 pm de diâmetro.

No citoplasma, fragmentos de Golgi e ribossomas observada de acumulação, pequenas vesículas e vários corpo vesicular.

eu’oócito acumula um grande número de mRNAs que serão utilizados na síntese de proteínas após a fertilização (durante a segmentação). eu’oócito também desenvolve um fator de descondensação que permitirá ao núcleo espermático decondensar após a penetração no’oócito.

– A membrana transparente afetado 15 pm d’espessura.

– granulosa

A proliferação celular contínua. Apesar do tamanho do folículo, o granulado f—’não é vascularizado.

A partir do diâmetro de 2 milímetros. a sensibilidade das células a FSH aumenta. O número de receptores FSH aumenta abaixo de l’ação de’activina (também produzido por granulosa, c’é um dímero da inibina de uma cadeia) e proliferação celular s’acelera para formar vários milhões de células, em seguida, o número de mitose e diminui à medida que aumenta o tamanho folicular.

– células, estimulado fortemente por FSH, hormonogènes se tornam. A produção de’O estradiol é produzido pela transformação de andrógenos produzidos pela teca interna sob o efeito de’aromatase

– eu’antro :

Cresce de acumular as folliculi licor produzidas pelas células da granulosa. É um líquido rico em ácido hialurónico

Durante o desenvolvimento do’antro, o ovócito é descarregado no lado do folículo. Ele permanece rodeado por um aglomerado de células foliculares que constituem o oophorus Cumulus (Cumulus OU proliger) que mantém o ovo ligado ao resto do folículo.

– La membrana de Slavjanski

– A teca interna :

bem vascularizado, produz andrógenos convertida em estrogénio. A atividade de síntese da teca interna é estimulada pelo LH e pela’inibir (produzido por granulosa).

– A biblioteca externa :

É em torno da anterior. É tecido conjuntivo fibroso, que se condensa em torno da teca interna. Suas fronteiras com teca interna são mal definidos. Não tem nenhum hormonogen atividade.

ENVELHECIMENTO FASE :

Ao contrário do que acontece no sexo masculino, a maturação de gâmetas femininos termina no caso de fertilização. No momento da fecundação, o ovócito é, na fase de oócito II.

A fase de maturação começa em resposta à estimulação hormonal pela L.h. (hormona luteinizante ou hormona luteinizante). O aumento da produção de estrogénio provoca um aumento significativo na secreção de LH (pico de LH), que começa 36 h antes da ovulação.

  • O folículo se torna um folículo de Graaf.
  • O ovócito completa a sua primeira divisão meiótica.
  • mais, ovulação LH controle de surto.

O folículo maduro ( folículo de Graaf) :

Seu diâmetro é de 18 ou mesmo 20 milímetros. 11 bomba sobre a superfície do ovário e do conjuntivo entre o folículo e do epitélio do ovário torna-se muito pequeno.

O seu tamanho é ligada ao desenvolvimento de Acesso de raiva e as várias estruturas externas diminuiu espessura (granulosa e da teca interna e externa). A sua evolução é condicionado pelo aumento repentino de LH, quem (em sinergia com F.S.H.) ordem l’ovulação.
/Usuários / adlane / Downloads / m% C3% A9decine / 1% C3% A8re ann% C3% A9e / Embriologia / Constantine / 16 / media / image6.jpeg

– L & rsquo; oócito :

Tem um diâmetro de 120 para 150 \xm.

Debaixo’influência do LH, as sínteses’parar e retomar a meiose.

– o kernel migra para a periferia do citoplasma e recomeça o processo de meiose. Uma unidade acromática (sem centrioles) aparece.

– A divisão de redução s’completo et s’acompanhada pela expulsão do primeiro corpo polar (substancialmente em simultâneo com a ovular, que estabelece). eu’oócito torna-se oócito II. após a ovulação, ele irá bloquear no metaphase 2e divisão meiótica.

– maturação citoplasmática conclui o estabelecimento dos mecanismos’opor-se à polisspermia. eu’oócito permanece ligado às células da Corona radiata por extensões de membrana que atravessam a membrana pelúcida.

– As áreas PELLUCID aumenta ligeiramente d’espessura.

– Le Cumulus oophorus :

As células do cumulus mucopolissacarídeos secretar, especialmente de’ácido hialurônico (responsável pela filance Cumulus vitro), dissociar e, eventualmente, destacar do resto da granulosa. No momento da ovulação, eu’oócito, rodeado a membrana transparente e o Corona Radiata, já está livre na birra dentro’um cúmulo mais ou menos dissociado.

O Corona Radiata et quelques cumulus cellules du sont bis PRESENTES au moment de la fécondation, o terço externo do Falópio.

– eu’antro :

O seu volume aumenta rapidamente. ele chegou 3 para 5 ml enquanto que o diâmetro do folículo pode atingir 20 milímetros.

– granulosa :

– O pico de LH dirige a síntese hormonal para a produção de progesterona. C’é o início da luteinização que se torna claro durante a formação do corpo lúteo. – Proliferação s’parado, presumivelmente devido a’um efeito parácrino da progesterona (as células foliculares possuem receptores de progesterona). Um momento, lá perto 50.106 células do folículo. Eles são dispostas em várias camadas para a face interna da membrana basal.

– La membrana de Slavjanski :

Ele ainda está presente. Se opõe à penetração de vasos. contudo, nesta fase, macrófagos em toda a membrana basal. Eles estarão envolvidos no desenvolvimento da vascularização do corpo lúteo após a’ovulação.

– A teca interna :

Tal como acontece com granulosa, síntese hormonal muda sob o’efeito do LH e avança para a produção de estrogênio. Depois de’ovulação, estes elementos de participar na formação do corpo lúteo.

– A biblioteca externa :

Densifica por compressão das estruturas conectivas devido à’aumento rápido do volume folicular.

Maturação de oócitos pré-ovulatório

A primeira divisão meiótica dá à luz 2 células filhas de valor muito desigual :

  • Um oócito secundário que reteve substancialmente todo o citoplasma
  • O primeiro corpo polar.

Jones II células un de petite taille (4 para 5 PM) cujo genoma é equivalente ao de l’oócito II, mas o citoplasma é extremamente pequeno.

geralmente, eu’envelope nuclear não se reformará e a célula não se dividirá. a divisão (ou « expulsão do corpo polar ») ocorre por volta da época do’ovulação. O corpo polar permanece contra o’oócito no espaço peri-oócito, para’dentro da membrana pelúcida.

o 2e divisão meiótica começou imediatamente, sem fase cinética entre, mais s’parar na metáfase, depois 6 para 7 h. C’está no estágio d’oócito II na metáfase em que o gameta pode ser fertilizado.

III- Involução de folículos ovarianos :

eu’atresia folicular afeta a maioria dos folículos que s’contratar. Ce phénomène s’observa da vida fetal e continua até’para’depleção do estoque folicular na menopausa.

IV- OVULAÇÃO :

O lançamento do gameta feminino é a ovulação.

Ela ocorre no meio do ciclo feminino, 36 h após o início do pico de LH, o 14e dia do ciclo menstrual (para um ciclo normal 28 dias).

eu’cumulus s’é então destacado do resto da granulosa (debaixo’ação d’enzimas proteolíticas) e flutua na cavidade folicular. C’é uma massa viscosa de vários mm3.

eu’a ovulação ocorre apenas s’houve um aumento de LH antes. C’é um mecanismo complexo, combinando :

– fenômenos vasculares :

Sob pressão do folículo maduro, a parte superficial do’ovário sofre isquemia. eu’parar a vascularização é observado macroscopicamente na superfície do’ovário por l’aparecimento de’uma pequena área arredondada, estigma, cor e transparência diferente do resto da parede do ovário.

– mecanismos enzimáticos :

As prostaglandinas ovarianos F2-D induzem a liberação, pelas células do’epitélio ovariano, d’enzimas lisossômicas que lisam o tecido conjuntivo da parede ovariana.

– espasmos musculares :

Células musculares lisas’contrato de ovário

A ruptura é brutal. É sobre tudo a parede do folículo (granulosa, membrana Slavjanski e thecae), a fina camada de estroma conjuntivo que cobre o folículo do lado externo e a’epitélio ovariano.

De’abertura, devido à tensão folicular e contração das células musculares lisas’ovário, o conteúdo da birra flui repentinamente para o’lado de fora, na cavidade peritoneal. O conjunto formado pelo oócito II e do seu invólucro é accionado. Ele é recuperado pela bandeira do tronco, cobrindo o ovário neste momento. eu’a ovulação é acompanhada por uma pequena hemorragia da parede ovariana.

A fecundação ocorre na Falópio. Se isso não ocorrer, os degenerados de ovos após 24 ish.

V- EVOLUÇÃO FOLÍCULO deiscente :

Imediatamente depois de eu’ovulação, o folículo se torna uma glândula endócrina temporária. I iaunet luteinizante corpo). Ele rugas devido à flacidez. A massa celular é penetrado pelos navios. As células da granulosa e da teca interna alterar as suas sínteses hormonais e tornarem-se células lútea, e para o desenvolvimento de progesterona lútea e alguns estrogénio. Este elementos luteinização é controlado pelo L.h pico. que precede l’ovulação.

WE- MIGRAÇÃO NA OVUM GENITAL :

Na hora de’ovulação, a bandeira do tronco, Móvel, cubra o’ovário. Ele recupera o’IL de oócitos A mobilidade correta do pavilhão tubular é essencial para a função reprodutiva.

rapidamente, o ovo migra para’para’bulbo tubular onde ocorre a fertilização.

A migração é passiva. Ele é facilitada pela :

  • A corrente líquida que vai do pavilhão para o’útero,
  • Os movimentos dos cílios vibrantes’epitélio tubário.

Durante esta viagem, cumulus parcialmente dissocia.

VII- O gametas femininos :

/Usuários / adlane / Downloads / m% C3% A9decine / 1% C3% A8re ann% C3% A9e / Embriologia / Constantine / 16 / media / image7.jpegUMA- eu’OVOCYTE :

É uma célula esférica 150 pm de diâmetro, relativamente inerte, nenhuma actividade sintética. que n’não completou sua maturação nuclear. É um ovócito secundário (n cromossomas et 2n ADN), bloqueadas na metáfase 2e divisão meiótica. É cercada por envelopes

  • A membrana plasmática cerdas com microvilosidades. Junções com células mortas- oócito desapareceu e as extensões que atravessam a zona pelúcida é retraído. A membrana tem receptores para esperma.
  • o citoplasma contém alguns retículo endoplasmático, mas contém muitos ribossomas livres, mitocôndrias pobres em cristas e grandes quantidades de’RNAs inativos, reservada para o desenvolvimento precoce. Na periferia, grânulos corticais (de 1 para 2 pm de diâmetro) estão dispostos em 2 para 3 camadas abaixo da membrana plasmática.
  • O material nuclear é bloqueado na metáfase 2e divisão meiótica. Cromossomos são número haplóide (mas com ADN 2n). Todos os oócitos são semelhantes (22 autosomes et um gonosome X). figura mitótico é muito excêntrica. Suas dimensões são pequenas em comparação com o tamanho da’oócito (10 PM). que n’não há centríolo nos pólos do fuso horário, mas mais ou menos desorganizado microtúbulos.

Oócito vitalidade é reduzida. Na ausência de fertilização, eu’oócito sobrevive 24 para 48 h. Que envelhece, gradualmente, : mais fertilização ocorre tardiamente, quanto mais risco houver’anomalias de conceito.

A fertilidade do’oócito (capacidade de fundir-se com o gameta masculino) está condicionado pelo grau de maturação nuclear e citoplasmática (metaphase bloqueando 11).

2- O envelope OVOCYTE :

Do’oócito em direção à periferia, on distingue :

uma- O espaço perivitelínico :

Este é um espaço muito pequeno claro, exceto na área de 1é corpo polar. este contém 23 cromossomas separados, sem reabastecimento do seu núcleo.

b- As áreas PELLUCID :

É uma camada 15 para 20 pm d’espessura, constituído de glicoproteínas. microscopia eletrônica, tem uma estrutura de fibrilas muito fina. inclui 2 camadas de densidade diferentes, a camada mais densa do lado do oócito. É atravessado por lacunas, que são as localizações dos processos celulares que são retraídas.

c- As células morreu oócito :

Contra a face externa do pelúcida zona, uma camada contígua de células constitui a coroa radiada. em torno de, são células de Cumulus. Os espaços intercelulares são grandes e ocupados por uma substância viscosa composta por glicoproteínas e’ácido hialurônico

Curso do Dr. Hannachi – Faculdade de Constantino